ESCOLA SEM COVID! UBES lança campanha e portal de denúncias para estudantes

Entidade abre canal para receber relatos de insegurança com medidas sanitárias nas escolas, que devem reabrir nos próximos meses

Para acompanhar e reivindicar um processo seguro de reabertura das escolas pelo país, a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) lança a campanha e o portal de denúncias “Escola Sem Covid!”.

No portal (escolasemcovid.ubes.org.br), estudantes podem relatar casos de falta de segurança e descumprimento dos protocolos da Organização Mundial da Saúde na volta às aulas presenciais. Também há um canal pelo WhatsApp: (11) 999591792.

“Queremos garantir a estruturação das escolas para o retorno. Precisamos combater a exclusão digital, garantir materiais de segurança para o seguimento dos protocolos, e proteger a vida de toda a comunidade escolar para isso”, explica Rozana Barroso, presidenta da UBES.

Sem uma organização nacional de protocolos, os planejamentos estão por conta de cada estado. Uma das preocupações é que medidas de segurança fiquem apenas no papel, como acontece no Amazonas, primeiro estado a retomar as aulas presenciais da rede pública. D

Encaminhamento das denúncias

Estudantes de qualquer lugar do Brasil podem usar o portal para denunciar situações de insegurança nas escolas, como aglomerações, falta de máscaras, torneiras ou sabonete. A UBES vai encaminhar os relatos para o Ministério Público e reivindicar melhorias com as autoridades.

Para se unir com outros estudantes e levar sua voz mais longe, basta entrar no site Escola Sem Covid e relatar a situação. E não se preocupe: as identidades serão preservadas!

Reivindicações para aulas presenciais e remotas

“Há meses a gente diz que o governo federal precisa criar uma comissão com profissionais da saúde, da educação, estudantes, para avaliar saídas e caminhos, mas nada foi feito. Fomos nós, estudantes, que tivemos que lutar por coisas básicas como o adiamento do Enem”, contextualiza Rozana.

Para contribuir com o debate sobre o tema, a UBES apresenta uma lista de reivindicações para uma retomada segura. 

No documento, a entidade secundarista coloca também necessidades estudantis para o acesso a aulas remotas.

“Sabemos que o Brasil é assolado por uma profunda desigualdade social que se agravou com a pandemia. É preciso construir as condições adequadas para que nenhum estudante fique para trás”. – trecho do documento da UBES

Responsabilidade secundarista

Desde março, os secundaristas têm mostrado responsabilidade perante a pandemia. Exigiram o fechamento imediato das escolas, em cuidado com a vida da população, suspenderam atividades de rua, reivindicaram o adiamento do Enem e fazem campanhas pela ampliação do acesso aos estudos.

Apesar da vontade de voltar logo às aulas presenciais, ponderam que é hora de se ter cuidado. “No momento em que vivemos é necessário que o centro das nossas atenções esteja na defesa da vida do nosso povo”, diz o documento da UBES. “Que qualquer debate que envolva o retorno presencial das aulas esteja embasado cientificamente e diretamente relacionado à adoção e garantia dos protocolos de segurança recomendados pela Organização Mundial da Saúde.”