Nova gestão da UBES toma posse em luta por #AdiaEnem

Em posse virtual, quatro estudantes de diferentes lugares do Brasil representaram a nova gestão e os sonhos secundaristas

Este 15 de maio teve um ato e uma posse de diretoria bem diferentes para o movimento secundarista. Pela primeira vez, estas atividades aconteceram virtualmente, devido à responsabilidade dos estudantes com a saúde da população. Segundo comentários dos secundas nas redes sociais, a emoção foi a mesma.

Quatro estudantes com a cara do Brasil representaram a nova gestão da UBES e saudaram a luta por uma data mais justa para o Enem, maior porta de entrada para o ensino superior. A cerimônia de posse da nova gestão aconteceu em formato de live e fez parte das atividades do Dia Nacional Pelo Adiamento do Enem.

Assume a presidência da UBES a estudante de pré-vestibular fluminense Rozana Barroso. Tiago Santos Ramos, da Bahia, é o vice-presidente, enquanto Juliene Silva fica como secretária geral e, o pernambucano Evandro José da Silva, como 1º vice-presidente.

Em cerimônia virtual de posse, nova presidenta Rozana Silva defendeu o #AdiaEnem e os sonhos da juventude

Ao tomar posse e defender enfaticamente a mudança do cronograma do Enem, Rozana relembrou seus primeiros contatos com o movimento estudantil, em Campos dos Goytacazes. Ela diz que, graças à luta, hoje sonha em ser a primeira da sua família a entrar numa universidade pública.

Coragem e esperança

Na despedida da presidência da UBES, o potiguar Pedro Gorki se emocionou ao explicar a luta do último período, por educação pública de qualidade: “Num país em que o presidente ataca nossos sonhos, somos aqueles que se armam de esperança”.

Rozana, nova presidenta, saudou esta coragem de cada um do movimento estudantil, e já avisou que a resistência continua. “Tenho dito que coragem é agir com o coração. Que essa coragem possa guiar essa gestão e que ela seja um pesadelo para o Bolsonaro”.

Pedro Gorki se despede da UBES: “Somos aqueles que se armam de esperança”

Estudantes mais responsáveis que o presidente

O Dia Nacional Pelo Adiamento do Enem aconteceu nesta sexta, 15 de maio, exatamente um ano após os enormes atos pela educação de 15 de maio de 2019. Mais uma vez, estudantes protagonizam a resistência contra o governo Bolsonaro, que agora insiste em manter o cronograma do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no meio de uma pandemia.

Desde que o novo coronavírus chegou ao Brasil, secundaristas têm sido mais responsáveis que o presidente da República, ao propor alternativas e medidas essenciais pela saúde da juventude e de toda a população. O adiamento do seu 43º Congresso foi mais uma opção responsável, por isso a Diretoria Plena da UBES se decidiu por uma gestão provisória.   

A UBES exige um novo cronograma para o Enem, a ser pensado em diálogo com secretarias de educação, professores e sistemas de ensino, para que as pessoas mais pobres não sejam excluídas do exame.

>>Assista o ato virtual do Dia Nacional Pelo Adiamento do Enem: