Por democracia e qualidade na educação, secundaristas convocam Jornada de Lutas

Reivindicações incluem defesa de escola sem mordaça, Fundeb e Plano Nacional de Educação. Confira calendário definido nesta quarta, 27/2

“Democracia sim, mordaça não” será o tema da Jornada de Lutas da UBES em 2019, série de ações pela defesa de financiamento e democracia na educação pública, além da previdência social pública.

As prioridades e o calendário foram definidos nesta quarta (27/2) pela Diretoria Executiva da UBES. Formada por jovens de todo o país, a diretoria se reuniu na sede nacional da entidade, em São Paulo.

Frente a ataques e fragilidades do novo Ministério da Educação, a convocação da Jornada de Lutas fala no papel de “uma educação crítica e emancipadora, que seja um pilar fundamental de desenvolvimento do nosso país e de perspectiva para nossa juventude” (leia abaixo).

Para isso, estudantes querem reivindicar o fim da Lei da Mordaça, um Fundeb permanente, a garantia de Grêmio Livre e do Plano Nacional de Educação, entre outras questões urgentes não citadas pelo ministro da Educação Ricardo Vélez na apresentação das diretrizes da pasta.

Pelo calendário definido (confira abaixo), a jornada começa nos atos de 8 de Março, Dia da Mulher, e vai até 1º de Maio, dia do Trabalhador, incluindo manifestações por um ano do assassinato de Marielle Franco, em 14 de março.

Jornada de Lutas

A Jornada de Lutas acontece todos os anos em homenagem ao estudante Edson Luís, morto pela polícia em 28 de março de 1968, há 51 anos, enquanto participava de manifestação estudantil. Este ano, a Jornada enfrenta o novo período ao defender financiamento e democracia nas escolas.

JORNADA DE LUTAS DA JUVENTUDE – 2019
RESISTÊNCIA NA EDUCAÇÃO: DEMOCRACIA SIM, MORDAÇA NÃO

A eleição de Bolsonaro para Presidência da República inaugura um novo momento político no país e deve orientar o movimento estudantil brasileiro à responsabilidade de construir uma ampla unidade de todos os setores progressistas e democráticos. A tarefa de nossa geração deve ser ampliar o diálogo, aparar nossas divergências e fortalecer a organização de jovens e estudantes em torno da defesa de nossa soberania, dos direitos sociais e da democracia.

Nesse sentido convocamos a toda juventude brasileira, os estudantes secundaristas, universitários e pós-graduandos, jovens trabalhadores, da cultura, da comunicação, das periferias e dos centros, para construção de uma grande Jornada de Lutas em defesa dos nossos direitos, da paz em nosso continente, em defesa da democracia e contra quaisquer tipos de perseguição política, de mais emprego para os jovens com aposentadoria digna, mas sobretudo em defesa de uma educação crítica e emancipadora, de que seja um pilar fundamental de desenvolvimento do nosso país e de perspectiva para nossa juventude;

Somaremos em diversas atividades em datas importantes, mas construiremos também semanas de mobilização nas universidades e escolas para consagrar o dia 28 de Março, em que completamos 51 anos do assassinato do estudante Edson Luis pela Ditadura militar, como um dia de luta nas ruas de todo o Brasil. Por isso ressaltamos a importância da construção de plenárias, comitês e reuniões estaduais, nos municípios, universidades e escolas para a organização dessas atividades.

CALENDÁRIO:

-08/03 – Atos do Dia Internacional da Mulher

-11/03 à 27/03 – Assembleias, debates e aulas públicas nas universidades e escolas;

-14/03 – 1 ano do assassinato de Marielle, atos em diversas cidades;

-28/03. Organização de atos de rua sob a bandeira “Resistência na Educação: democracia sim, mordaça não”;

-01/04 – Atos de repúdio ao golpe de 1964;

-07/04 – 1 ano de prisão de Lula;

-01/05 – Dia dos Trabalhadores;

A NOSSA É LUTA É:

-Em defesa da autonomia universitária, contra cobrança de mensalidades nas universidades públicas!

-Pelo cumprimento das metas do PNE e em defesa da educação pública, gratuita e de qualidade!

-Pelos 10% do PIB para Educação Pública;

-Contra o aumento abusivo de mensalidades e cobrança de taxas de serviços nas faculdades particulares, por mais qualidade!

-Em defesa da permanência para os estudantes Prounistas e do FIES;

-Em defesa do FUNDEB permanente;

-Em defesa dos institutos federais – Contra o PL: 11.279/2019

-Em defesa dos direitos e da previdência pública, contra a Reforma da Previdência;