Conheça o funk do passe livre

Conheça a versão feita por estudante para a música "Lei do Retorno". Adaptação está fazendo sucesso nas ruas de São Paulo, onde estudantes lutam contra cortes no direito

Vou marcar de te ver e não ir / Só se você for me buscar / Vou ficar sem passe livre / Porque o Dória quer cortar

Na adaptação de Matheus Doná, o funk Lei do Retorno (mc Hariel) mudou de tema. A versão dele embalou as concentrações das manifestações contra cortes no passe livre estudantil pelo prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), neste mês. A juventude paulistana já realizou dois atos contra as mudanças, em 12 e 18 de julho.

Ouça o “funk do passe livre” de São Paulo
(no 7’45”)

A partir de agosto, o direito de circular 24 horas por dia será cortado para quatro horas, com duas “cotas” de duas horas cada – apenas para ir e voltar da escola.

Aos estudantes, não basta para o direito já conquistado de viver a cidade. O passe livre com oito embarques diários nos ônibus foi instituído em 2015 a partir de muita luta dos jovens.

Veja como foram os atos em São Paulo:
12 de julho: São Paulo tem dia de luta contra cortes no passe livre
18 de julho: 10 passos para esquentar as ruas em dias gelados

Só uma coisa que eu não entendi

Matheus Doná é de São Mateus, zona Leste de São Paulo, e integra a União Paulista de Estudantes Secundaristas (UPES). Desde os oito anos brinca de fazer músicas e, quando começou a atuar no movimento estudantil, logo veio a ideia de criar melodias para o assunto.

Para o seu grêmio no Mocam – escola estadual Moacyr Campos – , ele fez o VAE (a chapa chamava Voz Ativa Estudantil).

Outra das músicas que Doná tem cantado fala sobre a conjuntura nacional e manda um recado para Temer: “Acha que é solução cortar social / Mas o povo diz que não e apresenta a real”. E alfineta:

Tamo na rua e vamo resistir porque o povo é raiz não é igual burguês ‘nutela’

Só uma coisa que eu não entendi, por que hoje está calado quem ontem bateu panela

 

Relembre como foi a conquista do passe livre em São Paulo