15 de março nas ruas: eu quero me aposentar

Estudantes, professores e trabalhadores decretam greve e ocupam as ruas na quarta (15) contra mudanças na aposentadoria, reforma do Ensino Médio e PEC do teto

Dia 15 de março é a data de um movimento unificado contra a Reforma da Previdência, que pode acabar com o direito da aposentadoria, e outros retrocessos do governo ilegítimo de Michel Temer. A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) está ao lado da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (CONTEE) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), além de outras entidades de estudantes, professores e trabalhadores que decretam greve nesta quarta. A estimativa é de mais de um milhão de professores em greve.

Leia também:
Reforma na aposentadoria: o que muda na vida dos jovens?

Com as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, os estudantes prometem ocupar as ruas para denunciar o avanço das medidas. “Março é o mês de jornada de lutas dos estudantes e este ano temos muitos motivos para ir às ruas, infelizmente contra retrocessos”, explica a presidenta da UBES, Camila Lanes.

A diretora de Movimentos Sociais da entidade, Jéssica Lawane, afirma que todas as prioridades federais apontam para a piora da qualidade de vida, com precarização e privatização dos serviços públicos. “Foi aprovada uma reforma para o Ensino Médio que, sem verba, vai piorar as escolas. Com a proposta para a Previdência, os jovens vão precisar começar a trabalhar cada vez mais cedo, o que pode prejudicar os estudos e aumentar a evasão”.

O governo ilegítimo já congelou os investimentos do País por 20 anos, com a Proposta de Emenda Constitucional 55, e instituiu uma “deforma” do Ensino Médio, com a Medida Provisória 746. A reforma da Previdência, que vai dificultar o acesso à aposentadoria integral, deve ser votada no Congresso ainda neste semestre. Jéssica explica: “Tudo isso faz parte de um projeto para o País que não foi aprovado nas urnas e precisamos nos mobilizar para não perder direitos”.

As centrais sindicais das frentes têm avisado sobre paralisações em todo o Brasil, principalmente bancários, metroviários, motoristas, cobradores e carteiros. Em São Paulo, os metroviários anunciaram que irão suspender o serviço nas linhas de metrô da capital.

Participe do evento no Facebook:
Greve da Educação – Eu quero me aposentar

Confira locais e horários pelo Brasil:

♦ AL – Maceió
10h – Praça dos Martírios

♦ AM – Manaus
16 – Praça do Congresso

♦ BA – Salvador
15h – Campo Grande

♦ CE – Fortaleza
8h – Praça da Bandeira

♦ DF – Brasília
8h – Catedral

♦ ES – Vitória
7h – Pracinha das Goiabeiras

♦ GO – Goiânia
9h – Centro da Cidade

♦ MT – Cuiabá
16h – Praça do Ipiranga

♦ MG – Belo Horizonte
10h – Praça da Estaçäo

♦ MG – Governador Valadares
16h – Praça dos Pioneiros

♦ MG – Teófilo Otoni
9h – Câmara Municipal

♦ MG – Uberlândia
16h – Praça Ismene Mendes

♦ PA – Belém
9h – Praça da República

♦ PB – Jõao Pessoa
14h – Ministério da Previdência

♦  PR – Curitiba
10h – Praça Tiradentes

♦ PE – Recife
9h – Praça Oswaldo Cruz

♦ RJ – Rio de Janeiro
16h – Candelária

♦ RN – Natal
14h – Praça Gentil Ferreira

♦ RR – Boa Vista
8h –  Assembleia Legislativa

♦ RS – Porto Alegre
18h – Esquina Democrática

♦ RO – Porto Velho
9h – Praça Estrada de ferro Madeira Mamoré

♦ SC – Florianópolis
16h – Praça Miramar

♦ SP – Americana
16h – Praça Comendador Muller

SP – Piracicaba
9h – Poupatempo

♦ SP – Ribeirão Preto
17h – Terminal Dom Pedro II

♦ SP – São José do Rio Preto
   15h – Terminal Central

♦ SP – São Paulo
16h – MASP

♦ SP – Sorocaba
7h – Praça Coronel Fernando Prestes

♦ SE – Aracaju
14h – Praça General Valadäo

♦ TO – Palmas
8h30 – Colégio Säo Francisco