Seis maneiras de ficar por dentro das Eleições 2016

Alô juventude, alô secundaristas! As Eleições 2016 se aproximam! Para o povo que tem ocupado as ruas contra o golpe de Estado no Brasil e enfrentado o Congresso Nacional mais conservador desde a ditadura militar, é chegada a hora de defender o principal símbolo da política brasileira: o voto, o direito de eleger nossos representantes e os projetos de governo que nos representam.

As estatísticas mais uma vez provam que ir às urnas é pensar no futuro das nossas cidades. Atualmente, segundo o IBGE, a cada 10 candidatos, sete são homens. O percentual de mulheres que disputarão as eleições é de 31%, proporção bem abaixo da presença delas na sociedade, onde são mais da metade da população nacional (50,64%). Mais da metade (55%) dos candidatos registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) têm entre 40 e 59 anos de idade.

Para que as eleições sejam realmente democráticas, a UBES, que no início do ano encampou a campanha nacional de voto aos 16 anos, a “Se Liga 16!”, faz novo alerta para que a juventude ocupe seu lugar na política.

1º Conheça o calendário eleitoral

Em 2016 acontece em todo país as eleições para prefeito, vice-prefeito e vereador. O primeiro turno das eleições municipais será realizado em 2 de outubro, primeiro domingo do mês. O segundo turno, somente em cidades com mais de 200 mil eleitores, está marcado para 30 de outubro.

É importante saber que as campanhas eleitorais iniciaram no dia 16 de agosto e seguem até o dia 29 de setembro. Aproveite esse tempo para conhecer o perfil dos seus candidatos.

2º Avalie sua cidade e município

O que está em jogo ao eleger prefeitos e vereadores é decidir o que pode mudar em nossos municípios e cidades. Por isso, uma boa estratégia para fazer valer seu voto é avaliar os principais problemas que precisam de solução.

Faça uma lista onde constem os serviços de administração pública e urbana que mais precisam de assistência. Será a educação, pois faltam escolas ou transporte para os estudantes? Em seu município, há problemas de habitação, poluição de áreas verdes? Em sua cidade faltam hospitais especializados ou centros culturais, de lazer e esporte?

Com essa lista você conseguirá identificar qual é o perfil do candidato mais próximo da sua posição política, qual projeto político mais se aproxima das necessidades de seu município e cidade.

3º Conheça as propostas dos candidatos em disputa

Na ‘era da informação’ é indispensável ler sobre as propostas dos candidatos, acompanhar debates entre os concorrentes do mesmo cargo, assistir às campanhas eleitorais e comparar os programas de cada político em disputa.

Busque conhecer a carreira do candidato e veja se suas promessas são viáveis e compatíveis com o cargo que ele pretende ocupar. Compare os planos de governo apresentados e os caminhos propostos para sua execução.

Os sites da Câmara de Vereadores, da Prefeitura, de setores que os candidatos fazem parte (ou simplesmente o Google) são fontes boas de informações para saber se seu candidato já esteve envolvido em algum escândalo, o que ele realizou em mandatos anteriores e avaliar as propostas do seu partido.

O site do TSE disponibiliza mais informações. Acesse aqui.

4º Quem vê cara não vê coração: passe o ‘pente-fino’

Existe um velho ditado popular muito bom para se pensar antes de escolher um candidato: “Você é aquilo que faz, e não aquilo que diz ser”.

Com a internet fica cada vez mais fácil saber se o político que aparece na televisão ou que entrega santinho no seu bairro tem uma trajetória de respeito ou se é apenas um charlatão querendo ganhar seu voto.

Muitas vezes, o projeto de governo proposto pelo candidato não corresponde às informações que circulam sobre ele. Um bom método é acessar as redes sociais e observar o posicionamento da pessoa sobre temas polêmicos. Afinal, vereadores e prefeitos são nossos representantes. Um estudante, por exemplo, não elegeria um prefeito que criminaliza movimentos sociais, certo?

5º Aplicativos que podem ajudar a sua vida

A tecnologia também pode nos ajudar a não perder os prazos. Nesse ano, a Justiça Eleitoral lançou alguns aplicativos muito práticos para nos ajudar a saber tudo sobre nossos candidatos, para denunciar irregularidades, ajudar os eleitores localizarem os locais de votação e receber notificações do calendário eleitoral, entre outras diversas funções. Acesse a lista de aplicativos.

6º Participe diretamente da vida política do país: vote!

Se você tem 16 anos e já emitiu o título de eleitor, não deixe de acompanhar a campanha eleitoral. Informe-se, organize discussões sobre o processo eleitoral com os colegas da sua escola e vá às urnas no dia das eleições.

Encampando nacionalmente a campanha “Se Liga 16!”, a UBES defende a participação dos secundaristas. O voto aos 16 anos foi conquistado após uma forte campanha do movimento estudantil para que esse direito fosse incluído na Constituição Cidadã de 1988, elaborada após o país se livrar de uma violenta ditadura militar que durou 20 anos (1964-1985).

Secundarista, saiba mais da “Se Liga 16!”, mobilize sua turma e faça valer seu direito de decidir o rumo de sua cidade.