Com luta dos estudantes por assinaturas de deputados, CPI da merenda avança na ALESP

Com mais de 21 mil assinaturas, petição é entregue à Assembleia Legislativa

No final da tarde desta terça-feira (10/5) uma grande conquista foi realizada pelos movimentos estudantis: foi atingida a soma de assinaturas necessárias para a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), que tem como intuito apurar o desvio de verbas destinadas à merenda das escolas de São Paulo.

Segundo o presidente da União Paulista dos Estudantes Secundaristas (UPES), Emerson “Catatau”, “essa é uma grande vitória e ter uma investigação para punir os ladrões de merenda é abrir uma canal para pautar a qualidade da merenda nas FATEC, ETECs e escolas”.

Presente na 4ª Conferência Nacional de Política Para Mulheres, em Brasília, a presidenta da UBES, Camila Lanes, comemorou a vitória dos estudantes. “Gostaria de parabenizar todos os estudantes que foram para as ruas nos últimos dias para conquistar a CPI da merenda! Vai ter CPI e nós vamos prender o ladrão!”

Flávia Oliveira, presidenta da União Estadual dos Estudantes de São Paulo (UEE-SP), enfatizou a dimensão da instauração do processo. “Nós estamos saindo daqui com uma CPI completa, que vai investigar as prefeituras, os agentes públicos e o Governo do Estado de São Paulo. Ninguém vai escapar da CPI da merenda”, disse, de dentro da ALESP, onde estava fazendo blitz com os deputados para coletar assinaturas.

OCUPAÇÃO E PETIÇÃO PARA PRENDER OS LADRÕES DA MERENDA

Após a desocupação da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, na sexta-feira (6), uma petição circulou pela internet que contabilizou mais de 21 mil assinaturas. Na semana passada, estudantes ocuparam a ALESP pautados em demandas do ensino público, como a precariedade das escolas, bem como das refeições e do ensino, a causa dos professores e, sobretudo, a apuração da máfia da merenda.