Após pressão estudantil, governo do Mato Grosso retira as Parcerias Público Privadas

Após meses de luta contra a implementação das Parcerias Público Privadas (PPPs) nas escolas do estado, secundaristas conseguiram a suspensão do edital das PPPs na última semana. Além disso, o ex-secretário da educação, Permínio Pinto Filho (PSDB), acusado de desviar mais de 56 milhões de reais através do superfaturamento de licitações de construção e reforma de escolas, foi preso nesta quarta-feira (20), pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MPE).

O movimento estudantil resiste há mais de 60 dias pela retirada das PPPs nas 29 escolas ocupadas, enfrentando medidas arbitrárias do governo autoritário de Pedro Taques (PSDB), que tentou combatê-los por meio da truculência policial e até mesmo com corte de luz e água nas ocupações.

O presidente da Associação Mato-grossense dos Estudantes Secundaristas (AME), Juarez França, comemorou as conquistas e relembrou que “desocupamos nossas escolas convictos de que saímos vitoriosos, mas permaneceremos em luta! Somos jovens, somos estudantes com milhares de sonhos e um deles é o da educação pública de qualidade! A prisão de Permínio nos dá mais gás para reivindicarmos a instauração de uma CPI da Seduc (Secretaria de Educação)”, concluiu.