Curriculum vitae e currículo lattes: existe diferença?

Curriculum vitae e currículo lattes: existe diferença?

Os currículos são o primeiro contato de um candidato com a empresa ou instituição para a qual está concorrendo. Eles funcionam como uma breve apresentação, a partir de dados de contato, formações, vivências profissionais e extracurriculares. Mas existem, sim, diferenças entre o curriculum vitae e o currículo lattes!

Por isso, neste artigo, te ajudaremos a compreender tais distinções e decidir qual a melhor possibilidade para você. E não se preocupe, é comum ter dúvidas quanto a isso, mesmo sendo um profissional com mais tempo no mercado. Então, siga a leitura e saiba mais!

Curriculum vitae: o que é?

Também chamado de CV, este modelo é voltado para a divulgação de experiências profissionais. Ou seja, é a partir dele que as pessoas participam de processos seletivos para empresas, seja para vagas de estágio, trainee, analista ou emprego formal. 

Então, se a sua intenção é concorrer a esses postos, invista seu tempo em organizar um currículo bem estruturado e de acordo com o que está sendo pedido. 

Baixe um modelo de currículo gratuito e pronto para preencher agora mesmo, acessando o site Candidato de Sucesso!

Quais informações inserir no CV?

Neste tipo de currículo, você deve agregar dados de contato, formação acadêmica e histórico profissionais condizentes com a vaga. Então, se você possui graduação, ensino técnico, especialização ou cursos de longa duração ligados aos pré-requisitos, não hesite. 

Também acrescente suas habilidades e idiomas. Por exemplo, se tem conhecimentos em ferramentas de informática, como Pacote Office, ou possua certificados em alguma língua, insira essas informações. 

Currículo lattes: o que é?

Este modelo de currículo é aquele utilizado por estudantes, pesquisadores e professores do ambiente acadêmico. E ele pode ser criado pela Plataforma Lattes, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. O CNPq é o maior órgão de fomento às pesquisas científicas do Brasil. 

Logo, se a sua intenção é concorrer a bolsas de iniciação científica, participar de projetos de extensão e construir carreira a partir de mestrado e doutorados, não perca mais tempo! Confira o passo a passo e crie o seu perfil o quanto antes. 

Lembrando que não é necessário já ter feito alguma dessas atividades na universidade para fazer o cadastro. Todos que possuem CPF podem fazê-lo!

Como preencher meus dados na Plataforma Lattes?

Assim como no CV, é necessário inserir informações de contato, formações e experiências profissionais. No entanto, o foco maior está no que tem a ver com o ambiente acadêmico. 

Então, é interessante acrescentar cursos de pequena ou longa duração, eventos acadêmicos dos quais participou e experiências como voluntariado relacionados à sua área de pesquisa. Assim como grupos de estudo e projetos de extensão dos quais participou, artigos e capítulos publicados em livros e revistas, e níveis de conhecimento em idiomas — escrita, fala e leitura.

Então, qual é a melhor opção?

Depende dos seus objetivos! Isto é, se a sua intenção é procurar por emprego, faça e envie um curriculum vitae. Já se o foco é ser ativo academicamente, crie e mantenha sempre atualizado o seu lattes. 

Ou, se tem interesse em transitar entre os ambientes profissional e acadêmico, vale a pena ter ambos os modelos. Então, pense bem sobre aquilo que quer e tenha isso em mente na hora de estruturar seu currículo!

Vitae e Lattes: confira as principais diferenças

Se você chegou até aqui, já deve ter compreendido melhor para que servem os dois tipos de currículo, certo? Mas, além do que apresentamos acima, há outros pontos que diferenciam o CV do lattes, e vice-versa. Confira!

O formato

O curriculum vitae deve ser adaptado a partir das prioridades e do gosto de cada pessoa. Por isso, é comum encontrar diferentes formatos e estruturas disponíveis de CVs, de acordo com o estilo dos candidatos. Além disso, normalmente eles são entregues em folha impressa ou enviados em Word ou PDF. 

Já a Plataforma Lattes é padronizada para todos aqueles que estão cadastrados nela. Portanto, não é preciso estar atento a detalhes como formatação e aparência, uma vez que o programa atualiza os dados de acordo com um padrão. E ele fica disponível online para qualquer pessoa acessá-lo, diferente do CV.  

A personalização

Os currículos profissionais devem ser estruturados para cada vaga, visando palavras-chave e pré-requisitos que a empresa propõe. Logo, a intenção é que as informações inseridas ajudem o candidato no processo seletivo. Já no lattes, não importa para qual a oportunidade, o perfil terá os mesmos dados. 

A verificação

Como o CV costuma ser enviado às empresas ou ser adicionado à uma plataforma de vagas, eles não são acessados por outras pessoas além dos setores de RH. 

Dessa forma, se torna mais difícil checar as qualificações daqueles que estão tentando o processo seletivo. Então, isso costuma ser feito por meio de entrevistas e testes nas etapas seguintes do processo.

Enquanto isso, a Plataforma do Lattes está diretamente ligada à da Receita Federal. Com isso, os dados pessoais são verificados pelo sistema e dificilmente podem ser falsificados.

O tamanho

O CV deve ser organizado em uma ou no máximo duas páginas. Isso está diretamente ligado à situação dos recrutadores: eles possuem pouco tempo para analisar os currículos. Desse modo, os dados ali inseridos devem ser breves e bem pensados.

O lattes não exige nenhum tamanho específico porque o importante é que ele seja completo. Afinal, as agências de fomento procuram pessoas que estejam bem preparadas para assumir as responsabilidades de uma bolsa de pesquisa.

Depois de ler todas as informações sobre cada tipo de currículo, entender para que servem e escolher aquele que se adequa melhor à sua realidade, é hora de praticar. Boa sorte!