UBES comemora 72 anos de história com aprovação do Fundeb

A celebração dessa vez é sem aglomeração, mas com a energia de sempre: a entidade secundarista segue na luta

Em 72 anos de história, a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas comemora seu aniversário de um jeito bem diferente, por conta do isolamento social. Nossa comemoração é em dobro já que o Novo Fundeb Permanente foi aprovado na Câmara dos Deputados na última terça-feira (21).

Lançamos um vídeo nas nossas redes sociais, com a participação dos ex-presidentes Juana Nunes e Thiago Franco que estiveram nas discussões sobre o Fundef em 1998 e o Fundeb em 2006 (entenda melhor essa história). Após a aprovação histórica na Câmara no dia tal, agora a mobilização continua pela aprovação do projeto no Senado Federal.

2020: 72 anos de luta

A aprovação do Fundeb foi só uma das vitórias de um ano de muita luta. Reinventamos nossa forma de mobilizar a galera, já que em respeito às orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) por conta da pandemia do coronavírus, tivemos que ficar isolados em casa.

“Está sendo um período de grandes desafios, mas estamos dando nosso melhor. Mostramos que os estudantes sabem continuar lutando e, ao mesmo tempo, respeitar o isolamento social. Ao contrário do presidente Bolsonaro, somos mais conscientes com a vida dos brasileiros”, afirma a presidenta da UBES, Rozana Barroso.

Isso não foi impedimento para fazermos grandes ações na internet que agitaram as redes sociais. Foi o caso do #AdiaEnem, uma vitória do movimento estudantil, que ganhou o apoio de diversos influenciadores digitais e personalidades da mídia. Também tivemos um papel fundamental na queda do pior ministro da Educação da história do país, Abraham Weintraub.

No dia 15 de maio, também fizemos história com a primeira posse virtual de uma nova gestão da UBES. A cerimônia aconteceu em formato de live e fez parte das atividades do Dia Nacional Pelo Adiamento do Enem, quando Pedro Gorki passou a presidência para Rozana Barroso.

Você sabe como nasceu a UBES?

Durante o governo de Eurico Gaspar Dutra, em 1948, os secundaristas lideraram a campanha “O Petróleo É Nosso”, que defendia a nacionalização desta riqueza. Com o sucesso da campanha, foi organizado o 1o Congresso Nacional dos Estudantes Secundaristas na Casa dos Estudantes, no Rio de Janeiro.

O evento marcou a fundação da União Nacional dos Estudantes Secundaristas – UNES, em 25 de julho de 1948, com representantes de praticamente todos os estados do país,compondo a sua primeira diretoria. A entidade trocaria de nome em seu segundo congresso, em 1949, para União Brasileira dos Estudantes Secundaristas — UBES.

A primeira grande luta da entidade após a sua fundação foi contra o aumento das taxas escolares, em 1950, que provocou uma greve geral no Rio de Janeiro e em São Paulo. A partir daí, o movimento secundarista se fortaleceu e seguiu conquistando diversos direitos para a juventude brasileira como o voto aos 16, o passe estudantil, a Lei do Grêmio Livre, o Plano Nacional de Educação e o Fundeb.