Essas dicas vão fazer todo secunda entender que quarentena NÃO é férias

As escolas estão suspendendo as aulas, mas não dá pra marcar bobeira em casa (e MUITO MENOS na rua)

Escola liberou pra ficar em casa? Então, fica em casa REAL! Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou pandemia para o novo coronavírus, o Covid-19, os países do mundo inteiro estão analisando formas de conter a contaminação. E não é à toa que as aulas foram suspensas, né?

A quarentena é necessária para garantir a saúde das famílias. Os secundas já estão dando o exemplo, diferente do Bolsonaro, cancelando os atos de rua e o Conubes. Além da nota divulgada na última terça-feira (17), pedindo suspensão das aulas em todas as escolas do Brasil. Por isso, vamos falar de coisa séria e lembrar que não vai rolar passeio, nem papo com os migos. Nossas dicas tão facinhas mas precisam de atenção, olha aí:

1 – “Doença de velho”? Cuidado com seu egoísmo

Amada??? O momento não é de piadinha, por isso é preciso buscar informações certinhas. Em análise dos dados da China divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a maior taxa de mortalidade pelo coronavírus (14,8%) está sim entre as pessoas com mais de 80 anos. Mas os mais jovens não são imunes à doença. 

Além disso, é possível ser contaminado com o vírus sem que ele manifeste seus sintomas mais comuns: coriza, tosse, febre prolongada e falta de ar (para casos mais complicados). Ou seja, você pode transmitir a doença sem nem saber disso. Por isso, todo cuidado é pouco e não dá pra ficar vacilando pensando no próprio umbigo e achando que somos imunes!

2 – Rango na casa dos migos? Esquece

A Bia chamou a Rafa, a Dê e o Guto pra uma festinha em casa? Então, CANCELA essa festa e esses amigos. Não dá pra fazer encontrinhos, nem reuniões nesse período de quarentena, gente! É preciso se manter em casa com sua família, acompanhando as orientações das autoridades de saúde. Lembrando que isso não é só por você, mas por todas as pessoas. Só assim podemos tentar garantir que o sistema de saúde dê conta de salvar vidas nos casos mais graves.

3 – Bater perna? Só da sala pra cozinha

A recomendação é ficar somente em casa mesmo, viu? Mesmo que você queira fazer uma caminhada ao ar livre, a orientação é de isolamento, afinal a maior forma de transmissão do vírus é feita pelo ar. Precisa ir à farmácia ou ao supermercado? Beleza, mas evite esse tipo de situação.


4 – Estocar produtos NEM PENSAR

Vamos ter senso de coletividade: NÃO estoquem produtos. Seus vizinhos também precisam de produtos básicos, não é só você e sua família. Lembrando que não há crise de abastecimento para um surto desses, vamos ter calma. 

5 – Adotar novas regras de higiene é PRA ONTEM

Miga, acho que você já deve ter entendido bem que devemos mudar nossas hábitos e comportamentos para evitar a contaminação do corona, né? Você precisa ficar beeeem higienizada pra não contaminar ninguém (nem você mesma).

6 – Mãos SEMPRE limpinhas

Precisa sair de casa? Carregue um álcool em gel na bolsa para higienizar as mãos. Vai ficar só em casa? Lave as mãos com sabão mesmo, afinal é mais prático. O ideal é realizar essa lavagem a cada duas horas durante 20 segundos.

7 – Não use a mão para tossir ou espirrar!


A melhor forma é usar um lenço! Tá sem? Também dá para cobrir o nariz e a boca com o braço, na altura do cotovelo.

8 – Evite tocar no rosto!

Não encoste no olho, boca, nariz, orelha. Só de falar nisso já dá vontade de coçar, mas foca que passa.

9 – Beijos e abraços também devem ser evitados

O jeito agora é cumprimentar com os pés, cotovelos ou fazer a saudação de Wakanda do filme Pantera Negra.

10 – Ah, também não compartilhe objetos de uso pessoal

Alimentos, talheres e copos: cada pessoa da casa deve usar o seu.

O momento é de atenção, por isso não vamos bobear, secunda! Oriente sua família com os novos hábitos de higiene e cuidado com fake news nas redes sociais, ouça informações de especialistas em saúde. Vamos evitar sair de casa e ter calma para salvar mais vidas.

Tudo que precisamos agora é o que mais está em falta no país, mas que os secundas têm de sobra: solidariedade, empatia, informação e, claro, lutar pela saúde e educação públicas – em casa!