#TiraAmãoDoMeuIF: Secundaristas entram na luta contra cortes de Bolsonaro

Com o corte de R$ 740 milhões anunciado pelo governo Bolsonaro, institutos e colégios federais não conseguirão terminar ano letivo

Nos institutos e colégios federais do Brasil não houve outro assunto nesta sexta-feira (3/05). O corte de 30% para todas as instituições federais, anunciado repentinamente nesta quinta pelo Ministério da Educação, causa revolta entre estudantes e comunidades. Muitos diretores e reitores já disseram que ficaria impossível terminar o ano letivo caso os cortes que totalizam R$ 740 milhões sejam efetivados.

“Tira a mão do meu IF porque nossa escola nos prepara para o mercado de trabalho, mas também nos ensina cidadania”, reagiu o presidente da UBES, Pedro Gorki, em campanha lançada pela entidade nesta sexta. A ação #TiraAmãoDoMeuIF incentiva que outros estudantes gravem vídeos sobre a importância dos Institutos Federais.

Além disso, estudantes no Brasil todo já organizam uma Paralisação Nacional da Educação no dia 15 de maio, junto com a UBES e diversas entidades educacionais. Em todos os estados discute-se participação na greve e outras formas de pressão, como pedido de audiências públicas sobre o significado do corte.

https://www.instagram.com/p/BxAm8Bah2-D/

Defender os IFs é defender o Brasil

Rozana Barroso, diretora de Escolas Técnicas da UBES, lembra que, ao associar ensino médio ao tecnológico, os Institutos Federais não são essenciais apenas para a juventude, mas também para todo o país:

“Essa campanha é importantíssima para o Brasil. Defender os IFs é defender o desenvolvimento e soberania. Esse é o papel dos verdadeiros patriotas”.

Triplicar o ensino médio integrado ao técnico, assegurando qualidade, é uma das metas do Plano Nacional de Educação para 2024.

Importância dos IFs

A grande vantagem dos IFs e colégios federais é oferecer ensino científico e tecnológico sem diminuir conteúdos de outras áreas, como história ou filosofia. A reforma do Ensino Médio sancionada em 2017, pelo contrário, exige que os interessados em formação profissional abram mão de outras formações.

Com grande expansão entre 2003 e 2016, as unidades dos IFs passaram a chegar em pequenos municípios, por isso são instituições também de grande papel social. Em muitas localidades, institutos federais significam a única oportunidade de formação e transformação de vida.