Estudantes enchem as ruas do Brasil por democracia e contra mordaça

Nas cinco regiões, Jornada de Lutas da Juventude “descomemorou” a Ditadura Militar e exigiu prioridade para escola pública nesta quinta, 28 de março

Três dias depois do presidente da República determinar comemorações ao Golpe Militar de 1964, estudantes brasileiros fizeram um grito por democracia de Norte a Sul do país, em 11 capitais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza e Porto Alegre.

A Jornada de Lutas da Juventude nesta quinta (28/3) lembrou do assassinato do estudante Edson Luís durante a Ditadura Militar, em 28 de março de 1968, e protestou contra o projeto “Escola Sem Partido”. O programa é conhecido como “Lei da Mordaça” por propor cerceamento de assuntos dentro das escolas brasileiras.


Jornada fecha rua Augusta em São Paulo (Foto: Maiakovski Pinheiro/Circus da UBES)
Jornada fecha rua Augusta em São Paulo (Foto: Maiakovski Pinheiro/Circus da UBES)

Além do tema principal (“Mais democracia, menos mordaça”), os protestos reivindicaram ao longo do dia financiamento e projetos para a educação. O passe livre estudantil também foi pauta em diversas cidades, como Porto Alegre e Fortaleza.

Ato em Porto Alegre defendeu o meio-passe estudantil e protestou contra fechamento de escolas (Foto: Guilherme Silva/Circus da UBES)
Estudantes fecham a avenida Osvaldo Aranha, em Porto Alegre (Foto: Guilherme Silva/Circus da UBES)
Estudantes paralisam escola em Porto Alegre para atividade da Jornada (Foto: Guilherme Silva/Circus da UBES)

Em memória de Suzano

Ato em São Paulo pediu menos armas, em homenagem à Suzano (Foto: Karla Boughoff/CUCA da UNE)

Em São Paulo e no Rio de Janeiro, estudantes homenagearam as vítimas do massacre em uma escola de Suzano e fizeram apelo contra violência na escola. Estrutura e democracia foram apontadas como caminhos para uma cultura mais pacífica.

Não dá mais / Não quero armas / Quero um Brasil de paz” gritaram, enquanto seguiam da avenida Paulista até a praça Roosevelt.

Sem armas e sem mordaças! Ato na Cinelândia, Rio de Janeiro. (Foto: Maiakovski Pinheiro/Circus da UBES)


São Paulo (Foto: Karla Boughoff/CUCA da UNE)
Pedro Gorki, presidente da UBES, e Marianna Dias, presidenta da UNE, em São Paulo (Foto: Maiakovski Pinheiro/ Circus da UBES)