10 lutas e vitórias em dois anos de gestão

Há dois anos, a gestão 2017-2020 da UBES vem defendendo a prioridade para a educação e a democracia brasileira

Em 2 de dezembro de 2017, o Brasil era outro: o 42º Congresso da UBES terminava, com a eleição da atual gestão da entidade, em meio ao governo de Michel Temer, após o golpe que retirou Dilma Rousseff da presidência da República sem crime de responsabilidade.

Naquele tempo, reformas neoliberais já eram desafios da juventude, além de ameaças à democracia escolar e ao livre-pensar, com a Lei da Mordaça. Esses riscos ficaram cada vez mais evidentes, principalmente com o governo de Jair Bolsonaro (PSL), ao passo que a luta se tornou cada vez mais forte e amplificada.

Apesar das forças conservadoras e autoritárias, a juventude vêm sendo guardiã de sua escola, sua cidadania, protagonismo e direito de aprender.

 

jan/18

1) Transferência da sede da UBES para Porto Alegre

Denunciamos a prisão arbitrária do ex-presidente Lula, com interferência do poder Judiciário à democracia.

28/03/18

2) Por Edson Luís e Marielle Franco

Nos 50 anos do assassinato do estudante Edson Luís, já exigíamos respostas para a morte da vereadora.

mai/18

3) Meio milhão de jovens com título de eleitor

Lugar da juventude é na política e cidadania. Campanha “Se Liga, 16” engajou secundas de 16 e 17 anos. 

jul/18

4) Secundas unidos pela escola pública 

Seminário de Educação reuniu centenas de estudantes para debater políticas públicas educacionais, em SP.

15/8/18

5) Orçamento da Educação sem cortes!

Após Jornada de Lutas da Juventude e pressão da UBES no Congresso Nacional, garantimos R$ 5 bilhões para o MEC.

11/12/18

6) Lei da Mordaça arquivada!

Após nove reuniões com luta e resistência, comissão do proj “Escola sem Partido” é encerrada na Câmara dos Deputados.

fev/19

7) Grêmios organizados contra retrocessos

No 4º Encontro Nacional de Grêmios, unificado com Bienal dos Estudantes, milhares se prepararam para defender a Educação.

26/2/19

8) Menos filmagens, mais investimentos

Protesto contra ministro Vélez barrou iniciativa de leitura de slogan do governo nas escolas após Hino Nacional.

abr, mai e jun/19

9)Tira Mão do Meu IF + Tsunamis contra cortes

Maior movimento de resistência contra governo Bolsonaro reivindicou fim dos cortes do MEC e prioridade para educação pública.

out/19

10) Revolta vai continuar!

Centenas se organizaram no Revolta, que reuniu em SP o 14º Encontro Nacional de Escolas Técnicas, 4º Encontro de Mulheres Estudantes e 17º Conselho Nacional de Entidades Gerais.