Seminário reúne diretoria da UBES de todos os estados

Evento em Salvador marcou o lançamento da Jornada de Lutas de março, com o tema “Nossos sonhos em nova temporada”

Mais de oitenta estudantes de todo o Brasil participaram, nesta segunda-feira (12), do Seminário de Gestão Edson Luís, em Salvador, que reuniu a diretoria plena da UBES e outros jovens do movimento secundarista. O encontro, que aconteceu na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Bahia, serviu para lançar a jornada de lutas da juventude nesse mês de março, com o tema “Os nossos sonhos em nova temporada”. Também serviu como preparação para a participação dos secundas no Fórum Social Mundial, entre os dias 13 e 16 também na capital baiana.

Lembranças de 1968

Ex-presidente da UBES Bernardo Joffley, secundarista em 1968, relatou experiência de comoção com a morte de Edson Luís: “Nunca havíamos visto nada parecido”

A homenagem a Edson Luís, estudante secundarista que foi assassinado há exatamente 50 anos pela ditadura militar, foi marcante durante todo o evento. O seminário foi aberto pelo ex-presidente da UBES Bernardo Joffley, secundarista durante o ano de 1968, que relatou a experiência de revolta e comoção com a morte do estudante. “Tomamos as ruas, em direção ao velório, com cerca de 30 mil estudantes. A população abanava os lenços do alto dos prédios, uma loja de velas doou todo o seu estoque. Nunca havíamos visto nada parecido”, relembrou. Bernardo, que frequentava o mesmo restaurante Calabouço, onde Edson foi morto, disse que a geração de 1968 se inspira também nos secundaristas atuais.

“A geração atual tem condições de fazer muito, como foi feito por exemplo na ocupação das escolas. A juventude tem acesso a novas ferramentas de comunicação que nós não tínhamos. Vocês encontram livros, filmes, músicas, é uma revolução comunicacional que está nas mãos de vocês e que nós não tínhamos”, disse. Após a homenagem, os diretores da UBES debateram a conjuntura nacional e as estratégias de mobilização para a Jornada de Lutas do mês de março.

O presidente da UBES, Pedro Gorki, ressaltou a importância da unidade neste momento. Ele também traçou um paralelo entre a temporada de sonhos daquele ano de 1968 e a realidade de agora, em 2018. “Sem a nossa união e a nossa força, talvez outro AI-5 pode acontecer”, declarou, em referência ao Ato Institucional número 5, medida mais drástica da ditadura militar que ocorreu naquele ano e cassou as liberdades políticas no país.

“Vamos à luta juntos, unidos, para fazer com que aqueles anos se repitam apenas com o que foi de luta e não com os mesmos retrocessos. Precisamos libertar o Brasil e torná-lo mais próspero, um país que gera igualdade, equidade, mais condições para a classe trabalhadora e para a juventude”, conclamou Gorki.

Ao final da homenagem, os estudantes bradaram o coro de “presente” para os nomes de diversos outros estudantes que, como Edson, perderam suas vidas na luta pela democracia e pelo o Brasil.

Secundas em Salvador

Nesta terça-feira (13), a UBES participa da grande passeata de abertura do Fórum Social Mundial, nas ruas da capital baiana. Nos próximos dias, os secundaristas integram os debates do evento com outros jovens de todo o mundo em atividades como a Assembleia Mundial da Juventude e o Forum Mundial da Educação. Na quinta-feira, o Circuito de Cultura Secundarista (Circus) da UBES promove uma oficina junto à Nação Hip Hop. Na sexta-feira, em parceria com o Cuca da UNE, acontece o Baile do Poder.

Veja mais fotos do Seminário de Gestão Edson Luís aqui!

Acompanhe a cobertura da participação da UBES no Fórum Social Mundial pelas redes sociais da entidade.

Fotos: Vangli Figueiredo