Saiu a convocação da seleção da UBES!

Veja os jovens craques que fazem a diferença e dão um show fora do campo no Brasil atualmente

Há uma semana, foi divulgada a lista dos convocados da seleção brasileira de futebol, que representarão o país na Copa do Mundo 2018, na Rússia. Agora é a vez da UBES divulgar a sua seleção de jovens que fazem bonito no país atualmente em diversas áreas.

A seleção que montamos está pronta para representar a juventude brasileira neste momento de desafios. Nada mais justo do que convocá-los para o nosso álbum de craques, não é mesmo secundas?

Então vamos lá. Segue a convocação:

Gleici Damasceno

Camisa 1 – Goleira

Militante em comitês da juventude no Acre e ativista contra o machismo, racismo e homofobia, a jovem de 22 anos é estudante de psicologia e atuava em sua cidade em defesa dos direitos humanos, antes de fazer parte do BBB 18.

Acompanhe sua atuação: https://www.instagram.com/gleicidamasceno/?hl=pt-br

Renê Silva

Camisa 2 – Lateral direito

Com apenas 11 anos de idade, Renê fundou em sua escola o jornal Voz das Comunidades com o intuito de dar visibilidade à realidade dos moradores da comunidade Morro do Adeus, no Rio de Janeiro. Hoje, seu projeto conquistou visibilidade nacional e internacional.

Acompanhe a Voz das Comunidades: http://www.vozdascomunidades.com.br/

Djonga

Camisa 3 – Zagueiro

O mineiro de 22 anos faz do RAP um instrumento para denunciar desigualdades, racismo e mostrar a realidade das periferias através de críticas sociais. Acompanhadas de muita lírica, suas letras são ácidas e irreverentes.

Sente o flow consciente do rapper: https://www.youtube.com/user/DjongadeBironga

Alex Santos

Camisa 4 – Zagueiro

Em 2014, na época com 22 anos, Alex fundou o Periferia Inventando Moda (PIM) na comunidade de Paraisópolis, em São Paulo. O PIM oferece oficinas e cursos e as roupas utilizadas nos desfiles são de empreendedores da comunidade revelando novos talentos da periferia.

Conheça o trabalho: https://www.facebook.com/pg/PeriferiaInventandoModa/about/?ref=page_internal

Carmem Santos

Camisa 5 – Lateral esquerda

Fundadora do InfoPreta, Carmem de 22 anos, abre portas para mulheres negras e ex-presidiárias desde 2012, quando tinha apenas 16 anos. O projeto tem por objetivo impulsionar mulheres para a área da tecnologia e conservar o meio ambiente com o descarte correto de materiais eletrônicos.

Conheça o Infopreta: https://www.facebook.com/InfoPreta/

Francisco Proner

Camisa 6 – Volante

Fotógrafo com bastante destaque para a sua idade, aos 18 anos Proner se dedica a registrar momentos históricos e relacionados a movimentos sociais. O jovem venceu 4 vezes o concurso Sua Foto da National Geographic Brasil.

Veja seu trabalho no site: https://www.franciscopronerramos.com/

Liniker

Camisa 7 – Meia-atacante

Com apenas 22 anos, Liniker é considerada uma das grandes revelações da música brasileira. A jovem trans tem forte representatividade na comunidade LGBTQI+ e destaque em festivais de música nacionais e internacionais.

Ouça Liniker: https://www.youtube.com/channel/UCMRAb0_HPDRzU0lG5kj3Nvw

Luiz Fernando da Silva Borges

Camisa 8 – Volante

Em 2017, aos 18 anos, Luiz foi premiado na categoria engenharia biomédica da Intel ISEF (Feira Internacional de Ciência e Engenharia), maior feira pré-universitária de ciências do mundo, pelo projeto “Hermes Braindeck: uma interface cérebro-computador para comunicação com pacientes inicialmente classificados como comatosos ou vegetativos”.

Saiba mais sobre o projeto do jovem: https://www.facebook.com/luiz.dasilvaborges?lst=100015357220500%3A100001660991079%3A1527012365

Stephanie Ribeiro

Camisa 9 – Atacante

 

Ativista feminista negra, Stephanie recebeu da Assembleia Legislativa de São Paulo, em 2015, a Medalha Theodosina Ribeiro, em homenagem a sua atuação em defesa das mulheres negras. Aos 24 anos, é colunista e escreve sobre desigualdade racial e beleza negra.

Saiba mais: https://www.facebook.com/stephanie.ribeiro.93?lst=100015357220500%3A100002505075866%3A1526930301

MC Soffia

Camisa 10 – Meia atacante

MC Soffia, hoje com 14 anos, fez seu primeiro show com apenas 7. Ficou conhecida por fazer RAP abordando o preconceito, racismo e machismo, além de incentivar as garotas a se amarem do jeito que elas são.

Acompanhe o trabalho dessa rapper camisa 10: https://www.youtube.com/channel/UCoSH3TfZi4OP8_jU4VpVZCA

MC Carol

Camisa 11 – Atacante

Feminista e ativista dos direitos humanos, a MC milita em defesa das mulheres e é engajada nos movimentos sociais, principalmente em defesa dos jovens da periferia, além de lutar contra o feminicídio.

Ouça a MC Carol: https://www.youtube.com/watch?v=iPoHMYfxD0Q

Pra frente time