Estudantes acampam em frente à Rede Globo, no RJ

Manifestação faz uma denúncia sobre o papel parcial da emissora no caso do julgamento do ex-presidente Lula

Já por dois dias está sendo realizado o acampamento dos estudantes e trabalhadores de vários estados em frente à sede da Rede Globo, no Rio de Janeiro. Os manifestantes chegaram nesta segunda-feira (22), por volta das 9h da manhã.

“Não estamos impedindo ninguém de entrar e sair, o ato está sendo para a conscientização dos trabalhadores que passam por ali, para mostrar que estamos cientes do lado que a Globo escolheu, e é uma forma simbólica de denunciar a posição da emissora e da grande mídia”, explica Luiza Arruda, diretora da União Estadual dos Estudantes Secundaristas do Rio.

A estudante conta ainda que a mobilização é para não deixar que a Globo passe sem nenhum tipo de denúncia ou questionamento, afinal, “a emissora tem sido desde a reeleição de Dilma uma porta-voz do golpe no nosso país. A pauta é: a Globo não pode tratar Lula como bandido sem provas. Não se condena um homem sem provas apenas pelo que ele representa”.

O acampamento está com uma programação de atividades: ontem (22), ocorreu um ato com palavras de ordem e bateria que durou horas. À noite, foi realizado um ato político com vereadores, deputados e representantes de entidades estudantis, seguido de um slam (batalha de versos). Nesta terça-feira (23), à tarde, ocorreu no acampamento o debate “Na Luta e no Voto, eu transformo o meu Futuro”.

“Ocupar a frente da Globo, propagandeando seu caráter é importante numa conjuntura como essas, mostra que cada vez mais há jovens conscientes, e não iremos deixar essas situações passarem em branco”, diz Luiza.

O acampamento deve durar até esta quarta-feira (24), quando os manifestantes sairão no ato no centro do Rio de Janeiro.