Escola é ocupada em Búzios (RJ) contra descaso com o ensino médio

Prefeitura alega não ser responsabilidade do município arcar com esta “despesa”

Em conjunto com a UMEAB (União Municipal dos Estudantes de Armação dos Búzios), estudantes ocuparam o Colégio Municipal Paulo Freire, em Búzios, , nesta terça-feira (27). Com a presença do grêmio estudantil, os secundaristas organizaram o ato para pressionar a prefeitura a não fechar a escola.

À UBES, Yzabeli Mota, presidente do Grêmio Paulo Freire, relatou que o prefeito André Granado (PMDB) também está fechando turmas e turnos no ensino médio municipal como medida de corte de gastos, além de alegar ser de responsabilidade do Estado custear o ensino médio.

“O turno da noite foi fechado e, esse ano, a prefeitura abriu apenas uma turma de primeiro ano no turno da tarde. Na Rasa (zona periférica de Búzios) fecharam o ensino médio do INEF (Instituto Nacional de Educação Financeira) e o EJA (Educação de Jovens e Adultos) do Colégio Ciléa Barreto”, acrescenta Yzabeli.

Educação é um investimento não um gasto

O Colégio é a única escola municipal de ensino médio integral em Búzios e está sofrendo os impactos da precarização devido à economia que o prefeito pemedebista está implementando. Yzabeli avisa que o movimento estudantil não vai parar: “Nós estamos programando atos e novas manifestações para continuar pressionando o prefeito da cidade”.

 

Por Aline Campos