Passe livre é direito do estudante

É papel das prefeituras garantir transporte para que os estudantes tenham acesso às salas de aula, à cultura, bem estar e lazer

O Passe Livre Estudantil irrestrito é simples. Ele proporciona ao jovem o direito à cidade por meio da mobilidade, já que o estudante dificilmente consegue arcar com o preço do transporte público. Oferecer a possibilidade de ir e vir, principalmente nas grandes e médias cidades, significa proporcionar uma integração maior entre as regiões e fazer com que a juventude possa ocupar e circular pelos espaços urbanos de modo mais democrático.

O movimento estudantil tem um amplo histórico de lutas em defesa de preços mais justos nas passagens e pelo Passe Livre Estudantil, desde 1956, com a Revolta dos Bondes, no Rio de Janeiro, até os dias atuais, com tantos outros levantes e revoltas contra o aumento das tarifas em cidades como Salvador, Natal, Recife, Curitiba, Belo Horizonte e São Paulo.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2014 mais de 1,3 milhão de jovens entre 15 e 17 anos deixaram a escola sem concluir os estudos, dos quais 52% não concluíram sequer o ensino fundamental. “Muitas pessoas estão excluídas da educação porque não podem arcar com o custo do transporte até suas instituições de ensino, e toda vez que uma tarifa de ônibus aumenta, esta exclusão cresce também”, avalia Camila Lanes, presidenta da UBES.

É por meio da utilização do Passe Livre que os jovens que residem em bairros mais afastados podem frequentar escolas, cinemas, parques, museus, teatros entre outras atividades culturais que contribuem para a sua formação cidadã.

 

 “É obrigação do Estado ter uma educação pública e de qualidade para os estudantes brasileiros. O Passe Livre é um direito que garante a toda a juventude o seu acesso e a sua permanência dentro das escolas. Mas não é só isso. Ele é importante também para complementar a nossa formação cidadã, com acesso à cidade, cultura, lazer e bem estar”

Camila Lanes, presidenta da UBES

“É necessário compreender a educação como um processo complexo da formação do indivíduo, que existe para além dos muros da escola, o acesso ao lazer e a cultura é importantíssimo para o desenvolvimento do jovem”

Presidente da União Paulista dos Estudantes Secundaristas, Emerson Santos (foto da abertura), que no mês de agosto promoveu protestos contra a prefeitura tucana que restringiu o Passe Livre na cidade

Matéria originalmente publicada no PLUG – set, out e nov/2017
Baixe a última edição do jornal PLUG: