Jovens da América Latina participam do Conubes

Representantes dos secundaristas chilenos e colombianos se disseram impressionados com o movimento estudantil brasileiro

A irreverência dos milhares de adolescentes de todo o Brasil reunidos na Praça Universitária, em Goiânia chamou atenção de convidados estrangeiros do 42 Congresso Nacional da UBES.

Paula Gonzales, presidenta da entidade secundarista da Colômbia (ANDES), Francisca Ocares, da entidade chilena e Yordan Bango, cubano à frente Organização Continental Latino Americana e Caribenha de Estudantes (OCLAE), participaram da mesa “Estratégia das políticas internacionais de educação” na última quinta (30), na Praça Universitária. Completaram o debate Gabriela Mora, do Unicef, e Israel Barbosa, jovem embaixador da ONU.

“Meu país é muito conservador. É algo impressionante a liberdade que vocês exercem aqui para ser o que quiserem, vestirem o que quiserem, fazer o que quiserem”, observou a colombiana Paula, completando que era preciso usar este espírito do CONUBES para lutar contra o conservadorismo do projeto “Escola Sem Partido” e construir uma educação não patriarcal e sem homofobia.

Mesmo falando em espanhol, a convidada arrancou aplausos do auditório montado na praça, com público em silêncio e atento para se comunicar com os estrangeiros. A chilena Francisca também se mostrou admirada em como a troca do encontro estudantil brasileiro envolvia atividades culturais, batuques, música, dança. E pelo tamanho e quantidade de gente, dado o tamanho do Brasil. Yordan Bango, cubano, fez considerações parecidas sobre os ‘muchachos e muchachas brasilenos’:

“É reconfortante ver a energia para resistir à onda conservadora do nosso continente. Me dá otimismo para a luta, que é de todos nós, por uma educação pública, gratuita e de qualidade”.

Yordan Bango, presidente da OCLAE.

Farc e pinguins

Na troca de experiências da mesa, os estudantes de diferentes países também falaram sobre problemas e soluções de cada local. A colombiana Paula, de 17 anos, trouxe a realidade do processo de paz vivido por seu país, que este ano lutou, com colaboração do movimento estudantil, para cessar a guerra contra as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).

Continua a batalha, na Colômbia, pelo fim do alistamento obrigatório ao Exército, que faz com que o país gaste com forças armadas e não consiga dedicar 5% do PIB para a educação. Durante as falas dos estudantes, muitos relataram à chilena Francisca como a Revolta dos Pinguins, que aconteceu nas escolas do Chile em 2006, inspirou o processo de ocupações dos colégios brasileiros. “Isso aqui vai virar o Chile” é o nome de um documentário muito assistido pelos estudantes na Primavera Secundarista de 2015 e 2016.

O 42º CONUBES segue até este sábado (2), em Goiânia. Acompanhe a transmissão ao vivo no Facebook da UBES.

Por Natália Pesciotta, de Goiânia.
Fotos: Nilmar Lage.