Jornada de Lutas: juventude na rua pela educação

Confira principais manifestações e motivos que levaram estudantes a se mobilizarem em todo Brasil nesta quinta (17/8)

Uma faixa na frente do Ministério da Educação, em Brasília, deixou claro o recado dos estudantes brasileiros mobilizados em todos os estados nesta quinta-feira (17/8): “Em defesa do nosso futuro”.

O principal foco da Jornada de Lutas da Juventude, que acontece sempre em agosto, mês do estudante, é defender a educação pública do País. Os movimentos organizadores entendem que, para isso, é preciso retomar a democracia no Brasil, por meio de eleições diretas imediatas.

“As medidas assumidas pelo governo de Michel Temer não passaram pelo crivo das urnas e certamente seriam recusadas se passassem”, afirmam em manifesto. A UBES é uma das entidades que assinam a convocação da mobilização.

Leia manifesto da Jornada de Lutas

Acompanhe o perfil da Jornada de Lutas no Facebook

Reivindicações

Dos 30 objetivos do Plano Nacional de Educação (PNE) previstos para 2017, apenas seis foram cumpridos, segundo o Observatório do PNE. Mesmo com o atraso em quase todos os pontos, este mês o governo federal vetou prioridade para as metas de educação no orçamento.

Isso sem falar nos cortes da verba para ciência e congelamento de investimentos na educação aprovado pelo governo Temer no ano passado, como destaca carta do movimento. Os jovens entendem que a reforma do ensino médio e outros projetos do ministério comandado por Mendonça Filho abrem caminhos para privatização do ensino e cobrança de mensalidades nas redes públicas. Ao mesmo tempo, o avanço conservador ameaça  educação com projetos como o Escola Sem Partido.

“Nós temos resistido desde o começo dessa confusão política instaurada no Congresso Nacional. A Jornada de Lutas da Juventude será permanente até que tenhamos nossos direitos assegurados” Camila Lanes

Camila Lanes, presidenta da UBES, discursou no fim da tarde, em São Paulo. Mesmo com chuva, estudantes de todo o estado se reuniram na avenida Paulista por “educação pública gratuita e de qualidade, Fora Temer e Diretas Já”, como resumiu a líder, ao microfone.

Ocupa tudo

Em Natal (RN), estudantes ocuparam o Centro Administrativo do Rio Grande do Norte para dar seu recado. No Rio de Janeiro, a Secretaria da Fazenda foi ocupada também contra o desmonte das universidades estaduais.

Belo Horizonte (MG) e Salvador (BA) foram algumas das cidades que amanheceram com manifestações estudantis. Até cidades do interior, como Iracema (CE) e Cascavel (PR) mostraram que a juventude está organizada e atenta.

Rio de Janeiro (RJ)

 

Natal (RN)

Salvador (BA)

 

Belo Horizonte (MG)

Iracema (CE)