‘Fora Temer’ vira hit de carnaval

Protestos contra governo federal em exercício tomaram conta dos festejos em todo o País

O que une Gaby Amarantos, BayanaSistem, Lenine e Jards Macalé? Além de se apresentarem durante o carnaval, seja no Recife, Salvador ou Rio de Janeiro, todos os artistas deram espaço para o já “tradicional” grito de “Fora Temer” durante seus shows. O mesmo aconteceu nos mais variados tipos de blocos, desde o Carmelitas, no Rio de Janeiro, até o Esfarrapados, em São Paulo. Sem ensaio ou articulação, o pedido foi o hit mais entoado pelas multidões.

Gaby Amarantos responde aos gritos, no Recife (PE):

Grito é ouvido no bloco Esfarrapados, em São Paulo (SP), durante transmissão do Jornal Hoje:

No bloco O Síndico, em Belo Horizonte (MG):

Punição

No caso do BaianaSystem, o ato pode acabar em punição. O presidente do Conselho Municipal do Carnaval, Pedro Costa, afirmou em entrevista que manifestações políticas são proibidas no carnaval de Salvador. Do alto do trio elétrico, o grupo puxou também o grito “Golpistas, fascistas não passarão”.

Em trio elétrico em Salvador (BA), BaianaSystem puxa protesto:

 

Toda hora

Circulou pela internet uma cena que aconteceu ao vivo na rede Globo: o repórter pergunta a um rapaz, em Caraguatatuba (SP), se ele está gostando do carnaval. Então ele, que se apresenta como biólogo escocês, responde, em inglês: “Sim, a toda hora gritamos ‘Fora Temer’… Não sei o que quer dizer isso”.

Muito evidentes, os protestos acabaram ganhando matérias na imprensa nacional e estrangeira. Até o Jornal Nacional deu destaque para o assunto, na segunda (27). O governo federal disse que não iria se pronunciar.

Estudantes na folia

A luta por democracia e melhorias na educação também chegou à folia nos blocos organizados por estudantes, como o Seu Cuca É Nóis e UMES Folia, em Olinda (PE) e o Bolinho de Estudantes, em Salvador (BA).

A multidão improvisava a marchinha, no Bolinho: “Ei, você aí / O Temer vai cair, o Temer vai cair”. Não estava lá? Aproveite a quarta de cinzas para conferir as cenas.