Estudantes do IF garantem democracia em eleição no RS

Cronograma inicial agendava escolha de reitor para a primeira semana letiva, sem tempo para participação e debate

Após falecimento do reitor Osvaldo Casares Pinto no começo de dezembro, o Conselho Superior do Instituto Federal do Rio Grande do Sul se reuniu para organizar o calendário e processo eleitoral do/a novo/a ocupante do posto.

O problema era a data que a comissão responsável havia escolhido previamente para a votação: 27 de fevereiro. Segundo os estudantes, uma eleição logo na volta das férias impediria um ambiente de debate sobre as propostas nos 17 campi do estado.

Em uma votação acirrada no Conselho Superior (Consup) nesta terça (19), por 22 a 21 votos, prevaleceu este entendimento de que a comunidade deve participar do processo de escolha, sim. A eleição ficou para 8 de março.

“Com muita pressão e mobilização dos estudantes, garantimos que a eleição fosse marcada para um dia em que todos já terão retornado às atividades. Porque democracia não se resume ao voto, exige ampla participação e debate”, explica Fellipe Belasquem

Ele é um dos 43 membros do Conselho Superior, pela vaga de ex-alunos do IF. O Consup, órgão máximo de deliberação da instituição, tem equidade em vagas entre gestores e comunidade escolar.

“Para nós, que tanto batalhamos pelo modelo paritário no IFRS, seria inadmissível que a sucessão do professor Osvaldo, um grande lutador da democracia, se desse com os campi vazios”, comemora Fellipe.