Congresso da UNE vai reunir 10 mil em Belo Horizonte

Encontro acontece em junho e, além de ter dezenas de debates e atividades culturais, vai eleger a próxima gestão da UNE

A União Nacional dos Estudantes (UNE), que completa 80 anos em 2017,escolheu Belo Horizonte para a realização do seu 55º Congresso, entre os próximos dias 14 e 18 de junho. São esperados pela entidade 10 mil jovens, entre delegados e observadores. As atividades do Congresso ocuparão o campus Pampulha da UFMG, o ginásio do Mineirinho e espaços do centro da capital.

Leia também:
UNE promove campanha para viabilizar congresso

“Teremos mais um congresso histórico nesta cidade. A UNE já se reuniu aqui em momentos muito difíceis da nossa democracia, como em 1966, em um encontro clandestino dentro de uma igreja e 1977, na tentativa de reconstrução da nossa entidade em meio à ditadura. Além disso, BH recebeu a UNE também em 1999, no início do segundo governo FHC, com a presença de Fidel Castro, inspirando os caminhos da nossa luta naquele momento”, afirma a atual presidenta da UNE Carina Vitral.

O Congresso é um momento caloroso de debate, integração e disputa política entre jovens de todas as ideologias, movimentos e causas do Brasil. Participam da UNE estudantes da esquerda à direita, militantes da política ou da cultura, ativistas ou empreendedores, a juventude do campo e da periferia, movimentos religiosos ou feministas, negras e negros, indígenas e LGBT. A programação incluipasseata, shows e atos políticos.

No total, são mais de 50 debates com centenas de convidados entre autoridades, artistas, intelectuais, representantes dos movimentos sociais e de diversas organizações. Na pauta, temas como a situação política e econômica do país, democracia, direitos humanos, comunicação e meio ambiente. Ao final do Congresso, os estudantes vão definir os rumos da UNE e do movimento estudantil pelos próximos anos, além de votarem e elegerem a próxima diretoria e presidência da entidade.

Movimento estudantil tem história em BH

Em 1966, após o golpe civil-militar que instaurou a ditadura no país e o incêndio da sede da UNE no Rio de Janeiro, os estudantes realizaram um congresso clandestino em Belo Horizonte. O encontro foi realizado de forma completamente escondida nos porões da igreja São Francisco de Chagas, no bairro Carlos Prates. Já em 1977, após a UNE ser extinta pelo governo e na década de maior violência e repressão do regime, os estudantes mineiros enfrentaram os militares com a organização do III Encontro Nacional de Estudantes (ENE). O objetivo era reconstruir a UNE na Faculdade de Medicina da UFMG, mas o movimento foi cercado e centenas de jovens presos pelas forças de segurança. Em 1999, o 46º Congresso da UNE recebeu a visita do líder cubano Fidel Castro, que proferiu discurso histórico para os estudantes no ginásio do Mineirinho.

  • Marciel Matiola

    alguém pode me explicar o porque eu não vejo pelo menos uma bandeira do brasil… todos pensamos que o comunismo tinha sido enterrado na década de 60 pelas forças militares, mas pelo visto ressuscitaram, que orgulho teria alguém em citar Fidel Castro, se gostam tanto assim do socialismo, vão para cuba, Venezuela e sejam felizes, mas se ficarem, enfrentem novamente a força dos militares, aguentem pq provarão com certeza!!!!