Goiânia: cidade dos estudantes recebe congresso da UBES

Encontro secundarista será realizado ao ar livre na Praça Universitária que leva o nome de Honestino Guimarães

Conhecido pela influência da cultura sertaneja e o sabor das frutas do cerrado, Goiás também abriga a capital dos encontros do movimento estudantil brasileiro.

Sua capital, Goiânia, em cujas terras brota a força dos estudantes, sedia mais uma vez, em 2017, o Congresso da UBES. Esta relação com a história de luta dos estudantes, no entanto, vem desde a época de Honestino Guimarães, ex-presidente da UNE, perseguido e assassinado pela ditadura militar.

GOIÂNIA E AS OCUPAÇÕES

Em 2015, mais de 10 escolas foram ocupadas em Goiânia contra a proposta da cha-mada O.S (Organizações Sociais), modelo que repassa a administração estadual das escolas para uma espécie de associação privada. Ocupações também foram realizadas contra a “militarização das escolas”, projeto que passava para o comando da
PM algumas instituições. Já em 2016, mais de 15 unidades federais de educação tinham sido ocupadas, desta vez, contra o congelamento dos investimentos em educação por 20 anos e a reforma do ensino médio.

 

O QUE É QUE GOIÂNIA TEM?

Com 84 anos e 1,3 milhão de habitantes, Goiânia é considerada uma das cidades mais arborizadas do mundo, tendo 94 m² de área verde para cada cidadão. Os bares, sorveterias e cafés se misturam aos populares “pit dogs”, como são chamados os “carrinhos trailers” que servem sanduíches.

Nos restaurantes, é possível comer um dos melhores churrascos do Brasil, a galinhada, o famoso pequi, pamonha e
outras comidas típicas. E quando o assunto é música, nem só de sertanejo vive o goianiense. A variedade de estilos musicais é marcante na cidade, como o rock psicodélico da banda Boogarins e o pop da Banda Uó, conhecidas na
cena musical independente do Brasil. Por aqui acontecem alguns dos maiores festivais do país, como o Bananada, o Goiânia Noise e o Vaca Amarela.

 

QUEM FOI HONESTINO GUIMARÃES

Natural de Itaberaí, a 100 km de Goiânia, Honestino se destacou na militância na Universidade de Brasília (UnB) e liderou a UNE no período mais dramático da ditadura, quando a entidade estava na clandestinidade, no começo da década de 1970. Foi declarado desaparecido político em 1973. Apenas em 2013, após ser instituída a Comissão da Verdade, a família pode finalmente ter reconhecido o seu assassinato por “violência sofrida por militares”. Honestino estudava Geologia e também escrevia poesias. Na capital federal, o DCE da UnB, o grêmio do Centro de Ensino Médio Elefante Branco e uma das pontes ao sul do Lago Paranoá hoje levam o seu nome.

 

PRAÇA HONESTINO RECEBE 42º CONUBES

A Praça Universitária, onde ocorrerá o 42º Congresso da UBES, também foi batizada em homenagem a Honestino
Guimarães. Rodeada pelas principais universidades da cidade, o local é tombado pelo Patrimônio Histórico e Cultural de Goiás. Preste atenção às esculturas que estão espalhadas por toda a Praça, elas formam um verdadeiro museu ao ar livre e compõem o cenário cultural do lugar junto a uma biblioteca municipal, a paróquia da PUC e o Museu Antropológico e o Centro Cultural da UFG.

 

* Originalmente publicado no PLUG #1 Especial 42º CONUBES