15 de Março: cidades amanheceram paralisadas contra Reforma da Aposentadoria

Atos acontecem em todos os Estados da federação; em SP ônibus e metrô estão parados

O Brasil acordou com a Esplanada dos Ministério em Brasília (DF) tomada de manifestantes neste Dia Nacional de Paralisação Contra a Reforma da Previdência, 15 de Março. O Ministério da Fazenda foi ocupado por integrantes das Frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular.

A greve foi puxada por entidades educacionais como a Confederação Nacional de Trabalhadores em Educação (CNTE), que estima que mais de meio milhão de professores iniciam sua greve hoje, o que significa milhares de escolas sem aula pelo país.
Esta quarta-feira deve ficar marcada na história dos trabalhadoras brasileiros como a mais intensa mobilização nos últimos tempos contra a perda de direitos.

Em trâmite no Congresso Nacional a Proposta de Emenda Constitucional 287 muda as regras da previdência vai inviabilizar a aposentaria de milhares de brasileiros e avançar ainda mais na desigualdade social. A “reforma” vai atingir de forma radical a vida de sete em cada 10 brasileiros, principalmente os mais pobres.

Entenda melhor aqui.

Atos nas mais importantes vias  e nas portas das categorias em greve vão acontecer em todos os Estados da federação até o fim do dia.

Trabalhadores, movimentos sociais e estudantes pedem ainda #ForaTemer mostrando sua insatisfação com o governo Temer e medidas de um plano de governo que não foi eleito democraticamente.

Desde muito cedo milhares de pessoas em Belo Horizonte (MG) fizeram concentração na Praça da Estação e na Praça Sete, travando o trânsito em todas as direções. A manifestação já contabiliza 100 mil pessoas neste momento.

Em Belém (PA) mais de cinco mil pessoas de diversas organizações, movimentos sociais, centrais sindicais e trabalhadores dos Correios estão concentrados na Praça da República na avenida Presidente Vargas.

Em Palmas (TO) trabalhadores e trabalhadoras, juventude e estudantes ocuparam a Assembleia Legislativa do Tocantins contra a Reforma da Previdência.


No Rio de Janeiro, o Largo do Machado, Zona Sul da cidade ficou repleto de manifestantes que dizem não aos retrocessos.


Em Salvador (BA) os manifestantes paralisaram o trânsito na região do Iguatemi e centenas de ônibus estão parados.


Em Curitiba (PR) mais de 60 mil  pessoas ocupam as ruas neste momento.


Em São Paulo os dos principais terminais de ônibus da cidade, o terminal Parque Dom Pedro e Terminal Bandeira estão paralisados. Os motoristas também estão fazendo parte desse dia de mobilização e paralisação nacional contra a reforma da aposentadoria.
As cinco principais linhas de metrô da cidade também amanheceram fechadas e nesse momento estão funcionando apenas parcialmente de forma reduzida. No Jabaquara pela manhã, funcionários do metrô recepcionavam os passageiros que chegavam explicando os motivos da paralisação.


Na capital paulista trabalhadores da Sabesp, Correios e Bancários também paralisam em defesa da aposentadoria. Uma grande manifestação unificada está marcada para às 16h no Masp, na Avenida Paulista.