Sem mandato, polícia invade escolas ocupadas em São Paulo e prende secundaristas

Assembleia estudantil nesta sexta (13) pode decidir rumo das ocupações

A “sexta-feira é 13” em São Paulo. A perseguição aos secundaristas que ocupam escolas começou às 6 horas da manhã, de maneira criminosa. Sem mandato judicial a policia invadiu a ocupação da Escola Técnica Estadual (ETESP), as diretorias de ensino da Região Centro Oeste (DECO), e a Norte 1. Resistindo à violência policial, cerca de 52 estudantes menores de idade foram presos e impedidos de usar seus celulares para se comunicar.

Em vídeo, os jovens denunciam o gesto autoritário do governo. “Eles nem estavam cientes que havia uma reintegração de posse, não houve divulgação de prazo, muito menos a apresentação física do documento”, conta um secundarista que acompanhou a invasão da polícia na Etesp, no Bom Retiro.

O momento exige apoio e unidade para denunciar o autoritarismo descabido pelo governo, é o que afirma a mãe de Henrique Fornasier, aluno da Etesp, que acompanhou os jovens que foram levados ao 3º Departamento de Polícia.

“Infelizmente, estamos diante de uma situação de constrangimento total e sem saber o que acontecerá. Acontece neste momento uma perícia na escola e todos estão proibidos de entrar. Só os que não apóiam a ocupação estão lá dentro. Não sabemos o que acontecerá daqui pra frente”, declarou a mãe.

DEMOCRACIA EM RISCO

Segundo informações do jornal O Estado de São Paulo, a ação da polícia foi autorizada pelo governador Geraldo Alckmin, que sem acionar o Conselho Tutelar, baseou a reintegração na orientação dada anteriormente pelo então secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes e que foi acatada pela procuradoria-geral. Novo ministro da Justiça no governo Temer, Morais é advogado do PCC e tem em seu histórico a repressão a movimentos sociais, aos atos estudantis contra o aumento da passagem e principal mandante da violência policial usada contra ocupações das escolas paulistas contra a reorganização escolar em 2015.

Nesta sexta, a partir das 14h acontecerá a Assembleia Geral das Etecs e escolas estaduais, na Casa do Povo, quando será definido o rumo das ocupações. No fim da tarde, às 17h, organizações e movimentos populares convocarão manifestação na Avenida Paulista em solidariedade à luta secundarista (saiba mais aqui).

A PRIMAVERA SECUNDARISTA RESISTE!

Primavera Secundarista não se intimida! A luta estudantil em defesa da educação, da democracia e por mais direitos tem construído um cenário nacional de resistência protagonizado pelos estudantes. São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Rio Grande Sul são alguns dos estados mobilizados pelas ocupações das escolas estaduais, Assembleias Legislativas, secretarias e diretorias de educação, demarcando inevitavelmente o posicionamento da juventude contra a retirada de direitos.