Parlamentares Jovens lançam carta em defesa da democracia e contra o golpe

Jovens secundaristas deputados e senadores se posicionam: "Não reconhecemos Michel Temer como presidente!"

Secundaristas que participam do Programa Parlamento Jovens assinaram carta aberta pela democracia: “Temer Jamais!”. O documento elaborado por 54 jovens deputados, senadores e parlamentares jovens do Mercosul, analisa o processo de impeachment da Presidência da República e afirma: “Não reconhecemos Michel Temer como presidente!”.

Leia na íntegra.

Em janeiro deste ano os Deputados Jovens do Parlamento Jovem Brasileiro da edição de 2015 apresentaram uma carta aberta pela saída de Eduardo Cunha da Presidência da Câmara dos Deputados. Naquela época os traços do golpe já se mostravam em execução, mas sua audácia ultrapassou todos os limites da ética e do valor real da democracia.

Somos Deputados Federais Jovens, Jovens Senadores e Parlamentares Juvenis do Mercosul. Juntos representamos o protagonismo da juventude na política pronta para cumprir o juramento de fidelidade e respeito à Constituição sob o qual tomamos posse.

Sabemos que o processo do Golpe vem sendo construído desde antes do início do mandato atual da presidenta Dilma. Após a campanha de um projeto fracassado, a “oposição ao Brasil” convocou recontagem dos votos, cassação da chapa eleita e, após todas outras tentativas falhas, apelou para a campanha midiática de abertura do processo de impeachment.

A grande mídia vendeu a opinião pública para os que melhor pagaram. Como mercenários, fizeram inflar uma ideia sem sustentação pelo fim de um mandato democraticamente eleito. A nação entrou em colapso de ideias e a crise política se enraizou na rotina.

Não existe qualquer prova material que justifique o processo de impeachment. O que hoje está em jogo são os interesses individuais de personagens que se promovem da tentativa de destruição de anos de avanços no exercício da democracia e da participação popular.

Não reconhecemos Michel Temer como presidente!

O “vice decorativo” jamais representará os interesses da nação brasileira, este está à mercê dos setores mais retrógrados da sociedade. Nossa juventude não o reconhece! Seu desrespeito com as mulheres, com os negros, com os artistas e com os movimentos sociais são refletidas em seus ministérios compostos em sua parte de fichas-sujas e de personagens distantes da realidade da população brasileira.

José Serra, que pretende vender nosso petróleo para as multinacionais, tem sido denunciado até mesmo pelo WikiLeaks e compõe o time ao lado de Alexandre de Moraes, o Ex-Secretário de Segurança de São Paulo responsável pelas chacinas contra estudantes e professores durante manifestações pela educação. De tanto Alexandre de Moraes se abster da justiça, hoje ocupa o Ministério da deusa cega no time de Temer.

Temer foi eleito para Vice-Presidente através do programa proposto e a partir do momento em que abandonou o projeto político que venceu as urnas, Temer abriu mão da representatividade do povo. Michel Temer não é consequência das urnas, é resultado de um povo manipulado que foi às ruas clamando pelo projeto retrógrado que hoje ocupa seus ministérios.

O golpe está em curso e jamais abriremos mão de nossa amada democracia, pois estaremos mobilizados em nossas mais diversas formas. A resistência tornou-se nossa regra de sobrevivência.

Não temeremos, até porque;

Temer jamais!

JOVENS DEPUTADOS.