No RJ, Primavera Secundarista das ocupações pressiona Secretaria de Educação que assume compromisso com estudantes

Escolas ocupadas avançam em pautas históricas do movimento estudantil

Nesta terça-feira (10), estudantes do comando das escolas ocupadas no Rio de Janeiro pressionaram e foram recebidos pelo secretário, Antônio Neto e seu chefe de gabinete. Após quase cinco horas de audiência, os secundaristas que apresentaram as pautas centrais das mais de 60 instituições ocupadas em todo o estado saíram vitoriosos com o comprometimento da Secretaria de Educação (Seeduc).

Em audiência de conciliação, o secretário Antônio Neto aceitou as reivindicações pela reativação do Rio Card, pelo fim do Sistema de Avaliação da Educação do Estado (SAERJ) a partir do próximo ano, implantação e formulação de um simulado feito pelo corpo docente de cada escola e eleições diretas para escolha do diretor escolar.

MUDANÇAS NA INFRAESTRUTURA DAS ESCOLAS

A presidenta da Associação Municipal dos Estudantes Secundaristas do Rio de Janeiro (AMES-RJ) e aluna da Escola Técnica Estadual Adolpho Bloch, Isabela Queiroz, questionou durante a reunião o anúncio de concessão de 15 mil reais para manutenção de cada escola estadual ocupada. “Estamos vivendo um marco histórico na educação do Rio de Janeiro, mas não podemos nos conformar, além de não ser suficiente [o valor que será destinado], precisamos saber para onde vai a verba e participar dessas decisões”, declarou.

A estudante que também ocupou sua escola, instituição que compõe a rede técnica do estado, denunciou a falta de respostas às escolas da rede FAETEC que são geridas pela Secretaria de Ciência e Tecnologia. “Existem 8 escolas técnicas ocupadas há quase um mês e ainda não tivemos nenhuma resposta da secretaria responsável”, acrescentou Isabela. “Estaremos prontos para tomar as medidas necessárias para garantir o atendimento das nossas reivindicações”, afirmou Isabela.

AVANÇO DA HISTÓRICA LUTA PELA GESTÃO DEMOCRÁTICA

Pauta histórica para todo movimento estudantil secundarista, após as ocupações, o projeto que institui a gestão democrática será debatido na Assembleia Legislativa (ALERJ) nesta quinta-feira (12).

O secretário de Educação se comprometeu em realizar as eleições diretas dentro de 40 dias nas escolas ocupas. Nas demais escolas estaduais, as eleições acontecerão depois de dois meses.

13161911_1142251215795551_1295229408372577685_o

PRESSÃO PERMANECE

Um calendário de negociações acontecerá nos próximos dias. A primeira reunião será na próxima sexta-feira (13) e a última está prevista para 24 de maio, na sede da Defensoria. Os estudantes e assessores técnicos da Seeduc vão debater temas como gestão democrática, infraestrutura e climatização, Sistema de Avaliação da Educação do Estado do Rio de Janeiro, inclusão, bilhete único, alimentação e currículo, entre outros.

“O sentimento é que estamos fazendo história, derrubamos direções ditadoras, mostramos que os secundaristas têm voz para construir a escola que queremos. Derrubamos ainda o SAERJ, uma prova meritocrata que não dialogava com a nossa realidade”, acrescentou a presidenta da União Estadual dos Estudantes Secundaristas (UEES-RJ), Ana Karoline Carpes. “Não terminamos, esse é apenas o começo, deixaremos um legado pela educação construído pela luta unifica dos estudantes”, finalizou.

Veja o documento.

13220758_1142249169129089_932979319255715987_o (1)

FOTO: CUCA da UNE.