No Distrito Federal, estudantes compõem Frente em Defesa da Educação, dos Direitos e da Democracia

Secundaristas se lançam na luta contra o golpe e a retirada de direitos

Nesta quinta-feira (9), estudantes, professores e servidores realizaram o lançamento do Comitê da Frente em Defesa da Educação, dos Direitos e da Democracia, no Distrito Federal. O movimento colocará em curso uma campanha nacional de combate às políticas de retrocesso adotadas pelo governo ilegítimo de Michel Temer, denunciar o golpe contra as conquistas trabalhistas, bem como os ataques à educação pública, gratuita e de qualidade.

O presidente da União dos Estudantes Secundaristas (UESDF), Leonardo Matheus, compôs a mesa de lançamento e expôs o papel do movimento estudantil contra a retirada de direitos.

“A ameaça que o golpe representa não é apenas contra o governo Dilma Rousseff, mas contra todos os brasileiros, ele apresenta características neofascistas. O governo Temer se recusa a sentar com as entidades estudantis, defendendo agendas como a proibição de manifestações religiosas nas escolas, por exemplo”, ressalta Matheus.

O estudante é contundente ao afirmar lutas históricas que podem sofrer retrocessos. “Conquistamos 10% do PIB, 75% dos royalties do petróleo para educação e o Plano Nacional de Educação que já estão sendo derrubadas na nossa frente. Nós, que compomos a Frente, temos o poder de derrubar o governo ilegítimo, condições de criar um novo projeto que forneça mais direitos e amplie a democracia no nosso país. Porque, se tem uma coisa que coloca medo em qualquer ditador são estudantes e professores nas ruas, unidos na luta. Será o início de uma nova virada na política”, finalizou Leonardo.