Em São Paulo, secundaristas conquistam restaurante no Instituto Federal

O bandejão entrará em funcionamento a partir do dia 15 de fevereiro

Os estudantes do Instituto Federal (IFSP) do Campus São Paulo já podem comemorar. Após dois anos de luta, no próximo dia 15 de fevereiro já estará em funcionamento o restaurante estudantil da escola. Fruto de muita pressão, as refeições serão oferecidas a baixo do preço, sendo o valor de R$ 3,50 para o almoço e R$ 3,25 o jantar.

Desde 2013 o campus tem sido palco de manifestações, com direito a batucada na secretaria, pressão pelo diálogo com a direção escolar e paralisação total das aulas em 2014, quando a reitoria foi ocupada pelos alunos no movimento intitulado “rangaço’.

“Ano passado, organizamos uma semana contra a ameaça de diminuição de vagas no ensino médio, medida que estrategicamente ameaçava a necessidade de funcionamento do restaurante. Porém, os estudantes do ensino integrado não podem passar o dia todo na escola sem comer, dependendo de marmita ou gastando dinheiro para comer fora”, explica o secundarista do ensino técnico integrado, Gabriel Magri.

Gabriel cursa no IFSP o ensino médio e o curso técnico de eletrônica, para ele, passar mais de dois períodos na escola exige como necessidade básica acesso à alimentação de baixo custo. “Desde que entrei aqui no IF essa luta é defendida por todos os estudantes, sem exceção”, afirma.

O Grêmio Estudantil Charles Chaplin teve importante participação na disputa, mobilizando os estudantes pela conquista do restaurante, ressaltando o papel do bandejão como política de assistência estudantil. “A permanência estudantil é fundamental para construir um instituto público, gratuito e de qualidade”, diz a página oficial do Grêmio em um dos atos convocados.

Para a UBES, a construção dos bandejões é um dos desafios centrais na mudança do ensino técnico. Para isso, a entidade aprovou em seu 13º Encontro Nacional de Escolas Técnicas (ENET), documento que defende a construção de um plano nacional de assistência estudantil que garanta o restaurante estudantil, entre outras coisas, como auxílio moradia, material didático, biblioteca on-line, creche e passe livre estudantil irrestrito no transporte público. Para saber mais, acesse aqui.