Congresso funda entidade estudantil no Maranhão

Lideranças de 25 cidades participam de fundação da Associação Maranhense dos Estudantes Secundaristas

Fortalecendo as lutas do movimento secundarista no Maranhão, entre os dias 27 e 29 de maio, na cidade de Caxias, ocorreu o 1º Congresso da Associação Maranhense dos Estudantes Secundaristas (AMES). Composto por cerca de 700 estudantes de 25 cidades, o fórum deliberativo marcou a fundação da nova entidade estadual de representação máxima das lutas secundaristas.

Lideranças estudantis de diversas escolas e grêmios participaram do evento que discutiu o papel da AMES em defender um novo modelo de educação, com protagonismo dentro das escolas, entre eles, indígenas e quilombolas. A reformulação do currículo base e do ensino técnico também está no mote de lutas da nova gestão que encabeçará mobilizações contra o machismo, homofobia e qualquer tipo de discriminação nas salas de aula.

O fórum aprovou nota de apoio às ocupações da Primavera Secundarista que mobiliza diversos estados brasileiros contra o sucateamento da educação.

13305063_1102264433167206_3357489857699905935_o

 

REPRESENTATIVIDADE FEMININA NA PRESIDÊNCIA

A abertura do Congresso da AMES marcou o posicionamento dos estudantes contra o machismo e a cultura do estupro, aprovando nota contra violência.

A gestão inicia sua luta no empoderamento das mulheres elegendo Jaine Santos, 19, à presidenta da entidade. Depois de presidir o grêmio do Instituto Federal do Maranhão, onde ainda estuda, a jovem que protagonizou conquistas como o programa de auxílio alimentação e a implementação de uma área de vivência dentro da sua escola agora está na liderança da entidade estadual.

“O congresso foi um momento histórico, conseguimos nos organizar dentro do movimento estudantil e ter representatividade. Os debates e o clima de esperança tornou ainda mais emocionante minha eleição, sendo eu negra e mulher dentro de uma sociedade em que muitas mulheres tem morrido na calada da noite por estar nessa luta”, destacou Jaine.

Ela ressaltou o papel do movimento estudantil no estado que, no último período, conquistou vitórias como as eleições diretas para diretor após muita pressão durante o processo de campanha eleitoral em 2014.