A Rio 2016 foi a olimpíada das mulheres e da diversidade

Luta contra preconceito e resistência sobe ao pódio dos Jogos

Os Jogos Olímpicos Rio 2016 chegam ao fim deixando o recado dos 43 atletas LGBTs que competiram em campo, nos tatames, pistas e piscinas. Mulheres, jovens, negros e negras subiram ao pódio levando uma das principais mensagens desta competição: esporte é lugar de diversidade sim!

1. rafaela silva _ manchete

O primeiro ouro brasileiro veio pela força e coragem da jovem mulher, negra, lésbica e da periferia do Rio de Janeiro: a judoca Rafaela Silva. A carioca venceu os insultos racistas que sofreu na internet durante as Olimpíadas de Londres em 2012, deu a volta por cima e foi aclamada pelo público.

“O macaco que tinha que estar na jaula hoje é campeão”, disse Rafaela após conquistar o ouro na Rio 2016.

2. olimpíada das mulheres_

Sim, essa foi a Olimpíada das Mulheres com a maior participação feminina da história: 45% das atletas disputando no evento são mulheres.

Também vimos a Olimpíada das mulheres no país do futebol. Você provavelmente ainda se lembra desta camiseta que conquistou a internet com o sentimento do Brasil em relação à seleção feminina de futebol:

Marta_olimpiadas

MACHISTAS NÃO PASSARÃO!                    

Os machistas de plantão não passaram despercebidos. O comentarista Milton Neves foi duramente criticado nas redes sociais após publicar em seu Twitter comentários preconceituosos sobre a partida de futebol feminino que a seleção brasileira disputou contra a Suécia.

3. milton neves twittes machista

Além desse caso, na imprensa internacional houve vários episódios sexistas. Um vídeo/paródia circula nas redes sociais em denúncia aos comentários machistas da imprensa internacional:

Já na cerimônia de abertura, no Maracanã, o Brasil e o mundo viram que os LGBTs não ficariam na escuridão. À frente da delegação brasileira, a modelo brasileira Lea T. foi a primeira transexual a ter um papel de destaque numa abertura dos Jogos.

5. trans _ olimpíadas

“Todos, independente de gênero, orientação sexual, cor, raça ou credo, somos seres humanos e fazemos parte da sociedade”, declarou Lea T.

4. olimpíadas amor lgbt

O ponto alto da visibilidade LGBT foi o pedido de casamento à atleta do rugby Isadora Cerullo por sua namorada, Marjorie Enya, depois do último jogo da seleção feminina do Brasil. O pedido de casamento ganhou destaque na imprensa internacional e foi compartilhado nas redes sociais.