Por uma educação de qualidade estudantes de Alagoas ocupam instituto

Ato seguido de ocupação reivindica melhorias no ensino e fim de atrasos nos auxílios estudantis

Exaustos de passarem horas dentro de instituições sucateadas, com estrutura  ultrapassada e que não fornecem aos jovens um ensino que correspondem a sua atual realidade, secundaristas alagoanos realizaram um ato nessa segunda-feira (07/12), seguido de ocupação do Instituto Federal de Alagoas – Campus Marechal Deodoro, para exigir melhorias no acesso, qualidade dentro dos Institutos Federais e o fim do atraso no pagamento das bolsas dos estudantes.

Pela manhã, cerca de 100 estudantes participaram do ato que percorreu às ruas de Alagoas que com palavras de ordem e portando cartazes exigiam melhorias na educação em todo o Estado.

A ocupação do Instituto Federal – Campus Marechal ocorreu logo após a manifestação. Os estudantes entraram na instituição e obstruíram as entradas do campus, não permitindo a entrada de nenhum funcionário, membros da gestão e docentes até que a reitoria se posicionasse quanto a uma solução para atender as reivindicações dos estudantes.

“Desde julho nós não recebemos nossos auxílios, já havíamos feito de tudo e tentamos dialogar ao máximo com a reitoria, mas nada era resolvido, então decidimos ocupar o que é nosso pra ver se assim obtínhamos alguma resposta concreta”, explica o estudante do campus Marechal, Matheus Souza.

A decisão da ocupação ocorreu em assembleia estudantil, realizada por secundaristas de todos os três ciclos do instituto Marechal, o Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica, na Modalidade de Jovens e Adultos (PROEJA), ensino médio técnico e superior.

De acordo com os estudantes, a reitoria do instituto havia publicado uma nota oficial na última semana dizendo que o Ministério da Educação (MEC) não havia repassado a verba necessária para pagar o auxílio dos estudantes e que por esse motivo não era possível resolver a situação.

“Depois que ocupamos, quase que por mágica, a reitoria voltou atrás e disse que todas as bolsas seriam pagas até essa sexta-feira, 11 de dezembro”, relata o estudante do campus marechal Matheus Souza.

As pautas exigem desde melhorias no acesso e qualidade da alimentação até oatraso de até 6 meses nos auxílios estudantis e 4 meses de bolsas de pesquisa, extensão e monitoria. “Nós, estudantes nos manteremos na ocupação até que as nossas reivindicações sejam atendidas”, afirma Matheus.