Estudantes das escolas técnicas de Sorocaba (SP) protestam contra fim da merenda

Afetando quase 6 mil estudantes, refeições serão substituídas por lanches a partir do dia 1º de abril

No Centro de Sorocaba (SP), mais de 200 estudantes das Escolas Técnicas Estaduais (ETECs) foram às ruas nessa segunda-feira (23/03) contra o corte da merenda escolar. Secundaristas do campus Fernando Prestes, Armando Pannunzio e Rubens de Faria e Souza seguiram em passeata até a Diretoria de Ensino, onde protocolaram um abaixo-assinado com cerca de 4 mil assinaturas.

Esse já é o segundo protesto organizado pelos estudantes e faz parte da Jornada Nacional de Lutas pelo Ensino Técnico construída pela UBES em todo país nos meses de março e abril.

Segundo Vinicius Viana, presidente do grêmio da ETEC Rubens Faria, o indicativo é que aconteça um novo ato na próxima semana, em frente o Paço Municipal.

“Há vinte anos, a prefeitura custeava a merenda, no fim desse mês será substituída pela ‘merenda seca’, mas temos estudantes que fazem ensino integrado, passam o dia todo na ETEC. Além de não ter dinheiro para pagar quatro refeições, não podem só comer bolachas e sucrilhos”, critica Vinicius enfatizando que outra pauta é a melhoria da qualidade dos alimentos oferecidos.

A merenda seca que será servida a partir de 1º de abril inclui bebidas lácteas e sucos, barras de cereais, bolinhos, biscoitos, entre outros itens. Em nota ao site da UBES, a Assessoria de Comunicação do Centro Paula Souza disse estar elaborando o processo de licitação para contratação de merendeiras e que a situação será temporária, mesmo assim, não houve previsão de normalização.

Jornada em defesa do Ensino Técnico

Com o tema “Nas ruas do Brasil eu fecho o quarteirão: assistência estudantil, passe livre e bandejão”, a UBES convoca todos os estudantes a ocuparem as ruas nos meses de março e abril para defender o ensino técnico brasileiro.

Para avançar nas mudanças e conquistar mais direitos, estão sendo convocados atos, paralisações e debates que vão compor o calendário nacional de lutas. Entre as pautas, está a expansão com qualidade e contra o corte de verbas na educação.

Da Redação