72% DOS ESTUDANTES DO ENSINO TÉCNICO DEPENDEM DE ÔNIBUS

Pesquisa do 13º ENET da UBES aponta que 48% das escolas técnicas e institutos federais não possuem transporte gratuito para atender os secundaristas

Por todo o país, os estudantes brasileiros organizam nos meses de março e abril a Jornada Nacional de Lutas em defesa do Ensino Técnico. A pauta do passe livre estudantil, além de ser um assunto central nas mobilizações, também é destaque da pesquisa realizada durante o 13º Encontro Nacional de Escolas Técnicas da UBES, o ENET, que aconteceu ​em​ fevereiro, no Rio de Janeiro.

Dos cerca de 1.700 ​secundaristas ​que ​estiveram ​n​o evento e responderam ​às perguntas do questionário que faz um raio-x da modalidade de ensino, 72% afirma precisar de ônibus para frequentar as aulas.

A pesquisa da UBES identificou que 48% dessas escolas técnicas e institutos federais não possui nenhum tipo de ônibus gratuito ou fretado destinado ao transporte escolar. Outros 14% afirmam que há o serviço, porém insuficiente para atender toda demanda.

Sem caber no orçamento mensal, os gastos podem prejudicar o ano letivo, como é o caso de Andressa Versa, de 17 anos. A jovem mora na parte continental de Florianópolis (SC) e precisa todos os dias se deslocar até a ilha central, onde se localiza o Instituto Estadual de Educação.

“No último ano, perdi aula vários dias por falta de dinheiro para passagem. Todo dia pego dois ônibus para ir e dois ônibus para voltar e, com a integração, eu acabo gastando R$ 6,20 no trajeto”, explica a estudante, que no final do mês totaliza um gasto de R$ 120.

O problema de Andressa também é compartilhado por dezenas de estudantes que só estudam, muitas vezes em período integral, e dependem dos pais ou ​da assistência estudantil para arcar com o gasto do transporte. Essa realidade se repete em 73% dos entrevistados que responderam a pesquisa.

POLÍTICAS DE PERMANÊNCIA JÁ!

A luta dos estudantes é para que seja implantado em todos os estados brasileiros o passe livre estudantil irrestrito como política de permanência para os estudantes. A pesquisa com os secundaristas da rede técnica concluiu que apenas 24% das cidades possuem a tarifa gratuita.

O resultado preliminar da pesquisa foi divulgado no dia 14 de abril, com dados relativos ao perfil dos estudantes entrevistados e a opinião sobre a estrutura das instituições de ensino técnico. Acesse: “Cerca de 69% dos entrevistados querem melhorias na estrutura de suas escolas”.

Da Redação.