Rio Grande: presos suspeitos de vender falsas carteiras de estudante

O sistema de fraude vendia carteiras que não eram reconhecidas pela UBES e a UNE

Por meio de denúncia encaminhada pela União Riograndina de Estudantes (URE) e outras entidades estudantis, assim como direção de escolas particulares, municipais e estaduais do município, a Polícia Civil prendeu em flagrante na tarde desta quinta-feira (19/9) quatro pessoas suspeitas de fazerem parte de um esquema de venda de falsas estudantis em Rio Grande. As carteiras trariam benefícios tais como desconto em lojas, shoppings, cinemas e supermercados.

Os documentos eram oferecidos nas salas de aula pelo valor de oito reais, porém, nunca eram entregues. Os suspeitos entregaram na 18ª Coordenadoria de Ensino uma série de documentos mostrando a existência da “Federação Gaúcha de Estudantes” onde constava a CNPJ e Ata de Eleição e Posse dos membros da suposta Federação, que segundo as entidades que a denunciou, não é reconhecida pela UNE (União Nacional dos Estudantes) e pela UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas). A partir da apresentação desses documentos, a 18ª CRE emitia uma carta de apresentação para que os supostos estudantes fossem recebidos pela direção das escolas.

A Ata de Posse da instituição aponta EVELIN DOS PASSOS BANDEIRA como presidente e Jair Torão Jr. como Tesoureiro. Jair foi detido pela Polícia Civil no interior de uma escola municipal juntamente com Andre Juliano Barros dos Santos (33 anos), natural e residente em Cristal, Caroline Aguiar Lopes (20 anos) natural e residente em Gravataí e Laura Rossi (20 anos) também natural e residente em Gravataí. Os três últimos alegam que trabalhavam para Jair e desconheciam a suposta fraude. Todos prestaram esclarecimentos na Delegacia de Pronto Atendimento e inúmeras Diretores de escolas particulares, municipais e estaduais foram chamados para fazer o reconhecimento dos suspeitos além de serem ouvidos pela Polícia.

Caso semelhante já foi registrado em mais seis cidades do interior, apontando a “Federação Gaúcha dos Estudantes” por fraude na confecção de carteiras estudantis.

Eduardo Bozzetti 
Imprensa UEE Livre (RS)