Contra homofobia nas escolas, UBES repudia ação de professora com estudante em escola de São Paulo

Sinalizando a falta de preparação para os professores nas salas de aula das escolas públicas, no último dia 7 de agosto, em Piracicaba (SP), professora de geografia da Escola Estadual Professora Juracy Neves de Mello Ferracciú chamou o estudante de 11 anos de ‘Félix’, personagem da atual novela da Rede Globo, “Amor à Vida”. Comparando em tom pejorativo ao administrador gay de um hospital, em referência à trama televisiva, a mãe do jovem abriu boletim de ocorrência registrado como injúria por parte da professora.

Para União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, “ações como esta vão na contra mão da educação pautada contra a homofobia e o bullying nas escolas. Esse caso indica a necessidade de preparar os profissionais para lidar com a pluralidade das turmas e uma reforma no currículo que  abra espaço para os debates sobre diversidade e sexualidade”, comenta Manuela Braga, presidenta da entidade.

BULLYING?

Segundo a mãe, o garoto retornou das férias com óculos depois de ir ao médico. Foi então que a professora, ao notar a diferença no visual, disse em sala de aula que o garoto se parecia com alguém, mas que ela não podia dizer o nome, ainda de acordo com relatos da mãe, uma despachante de 36 anos. “Foi quando um dos colegas de classe disse que sabia quem era e disse o nome do personagem”, afirmou.

Os estudantes começaram a rir e a professora confirmou a semelhança, o garoto começou a chorar e a professora pediu desculpas a ele, dizendo que foi apenas uma brincadeira. Ao questionar a coordenação, a mãe foi informada que tudo não passava de brincadeira e que a professora era muito competente. “Eu não julgo a qualidade dela em ensinar, mas não é função dela dizer com quem meu filho parece ou não”, disse.

Ainda de acordo com a mãe, não haveria problema e preconceito caso o filho dissesse que é homossexual, mas que iria à Diretoria de Ensino de Piracicaba para contar o que aconteceu e, com reunião marcada com a diretoria da escola. “Isso não pode ficar assim, temos que denunciar casos como esse”, afirmou.

Resposta do Estado

A Diretoria Regional de Ensino de Piracicaba, por meio da assessoria de imprensa, informou que lamenta o mal entendido registrado na unidade e afirmou ainda que foram tomadas as providências para que o caso seja esclarecido.

A administração regional, informou também, que se reuniu na última quinta com a mãe do estudante e agendou um encontro de conciliação entre estudante, a responsável, a professora e a direção da escola. “Os colegas de sala também participarão de uma atividade que tem como objetivo esclarecer o mal entendido e reforçar a importância do respeito mútuo”, finalizou a nota.

Da Redação com informações do G1